Um problemão para Ratzinger

O médico italiano Severino Antinori, aquele mesmo que costuma deixar grávidas mulheres de sessenta anos, anunciou hoje que, no último mês de setembro, realizou uma operação que está destinada a abalar a humanidade. A equipe do irrequieto Antinori teve acesso ao Santo Sudário e, após meses de tentativas, capturou o DNA de Jesus Cristo. O pano que, segundo o dogma, envolveu o Salvador no período entre sua retirada da cruz até a ressurreição, guardava grande quantidade do sangue coagulado de Jesus Cristo, o que permitiu a obtenção de seu DNA. A notícia de hoje, veiculada pelo L`Osservatorio Bugiardo e que está nos principais sites de notícia do mundo, dá conta de que, numa ação de incrível ousadia, Antinori está gerando um clone de Jesus Cristo em uma jovem romana. Em seu comunicado à imprensa, Antinori disse que o Filho de Deus tem DNA normal.

Porta-vozes do Vaticano deram claros sinais de que Ratzinger, o Papa Bento XVI, está indignado com o que considera um desafio a toda a cristandade e exigiu que a mulher que carrega o clone de Cristo em seu ventre seja imediatamente identificada e trazida a sua presença. Há também a possibilidade de que Ratzinger convoque o médico italiano para uma entrevista semelhante àquelas que foram realizadas no passado com Giordano Bruno, Galileu Galilei e, mais recentemente, com Leonardo Boff. O guardião da doutrina voltou a falar na lenta consumação da dignidade humana e deu sinais claros de que estaria disposto a avalizar um aborto deste feto gerado em condições que demonstrariam “um completo desrespeito a todos os católicos do mundo”.

Antinori garantiu total sigilo quanto a identidade da nova Maria, nem que para tanto seja necessária a convocação de novos templários. Ainda declarou que ela — uma mulher ainda virgem, com a finalidade de reproduzir as condições adequadas — e a criança deverão ter uma existência normal. Tablóides ingleses tiveram edições especiais falando sobre a revelação da verdadeira face de Cristo e a oposição do Vaticano. Católicos do mundo inteiro esperam por milagres nas próximas horas. O Opus Dei negou-se a dar declarações porém diz-se que intervirá no caso.

24 ideias sobre “Um problemão para Ratzinger

  1. LUXURIA
    by Ramiro Cocneição

    A luxuria é o prazer abjurado
    de Bento-XVI-das-punhetas
    ― o quebra-lunetas ! ―
    encastelado em tesouros do Vaticano.
    Porém, Bentinho, fique bem à “volonté”:
    Papai-do-Céu Perdoa, Finge que não Vê.
    Mas, “Lab” Ratzinger, por que condenaste Leonardo Boff
    ao mesmo destino de Galileu que disse Eppure si Muove?

    obs: 1) este poema é parte dos “Pecados Capitais” já publicado aqui;
    2) Milton, estou escrevendo este comentário sob a Música de Gilberto Agostinho(ele enviou-me um e-mail muito gentil). Milton, que surpresa: 22 anos!!!!!!

  2. EXISTIR
    by Ramiro Conceição

    A minha prisão é estranha
    porque expande e encolhe
    conforme o jeito que eu olhe.
    A minha prisão é de antanho:
    um jardim de seres castanhos
    numa caverna de Platão onde, certa vez,
    um animal olhou a Lua pela primeira vez
    e murmurou: “Por que estou aqui?”.

    Diante do desamparo e despreparo,
    com esmero, inventei algo raro:
    um mimo! aos sonhos do Mundo,
    um conjunto de cantos inconjuntos
    à questão fundamental:
    “Por que estar aqui?”.

    Fui o que sou e aquele que não sei.
    Agora estou com o melhor de mim!
    A essência do meu canto
    não é a dor que vi,
    apesar de vir daí!
    A minha essência:
    é o processo de existir!

    Venho de distâncias distantes!
    Vou para distâncias distantes!
    “Sou do tamanho do que vejo”
    qual dizia o Poeta do Ribatejo!

    PS- Milton,
    não esqueça:
    o “JARDIM DOS CASTANHOS”
    está FLORESCIDO!!!!!!!!!!!!!

  3. Milton,

    Viu, quando escreves assim és bem melhor do que inalar rancores ao Grêmio.
    Esta notícia saiu na época do Woytila?
    O que não é novidade. Erik von Daniken, em um de seus livros Eram os Deuses Astronautas, já citava escritos toltecas (aqueles destruidos pelos maias (aqueles destruídos pelos aztecas (aqueles destruídos pelos espanhoies))) fertilização in vitro para o até então mistério da sin sina virgo conceptio (concepção de uma virgem sem pecado).Antinori só estaria repetindo o que estes alienígenas fizeram.

    Detalhe, apesar da lenda, Galileu não disse “Eppure si muove”. Não era louco nem burro.

    Abraços

    Branco

  4. César, o Animot ia bombar com uma notícia dessas!

    Ricardo, è bene trovato. Pois é brilhante a frase atribuída a ele. Não, saiu nos primeiros dias do Ratz.

  5. Pura bobagem do Milton. Um continho do vigário, que´nem o mais desavisado engolo. Ora, para a Igreja, sudário nem é santo, nem é dogma. Também devo dizer que Bento XVI não é um charlatão, e sim téologo dos maiores em nosso tempo, sei que é uma pessoa extremamente dócil e tolerante com quem pensa diferente, e todos sabem que tem grande credibilidade no meio acadêmico.

  6. Flavio, para mim Ratzinger pode ser um respeitado teólogo assim como Fernando Henrique Cardoso era um respeitado sociólogo. Tal fato não os livra de serem dois filhas-da-puta tolerantes, sorridentes e indiferentes a quem pensa diferente.

  7. Essa criança não será como Jesus nosso Salvador, será apenas uma criança a mais no mundo, pois Jesus foi gerado pelo Espirito de Deus e essa criança pelo sangue apenas.

  8. Todos sabem que o santo sudário foi uma invençào da Igreja na Idade Média e q ñ contém em hipótese alguma o DNA de Jesus.

    Se essa notícia é verdadeira é muito boa, é um xeque-mate na própria Igreja e suas ilusões!!!!!!!!!!!

  9. VAI ACHAR UMA COISA DESSENTE PARRA FAZER EM VEZ DE FICAR MENTINDO PARA HUMANIDADE
    CRONE DE JESUS CRISTO HAHAHHAHAHHA

    VAI TOMA NO SEU CÚ MÉDICO RETARDADO

  10. Pingback: Dia de provocar (light) | Milton Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>