Os ateus são pessoas más?

Por Renato Sabbatini

Recentemente a Igreja Católica iniciou uma campanha cerrada contra o que denominou de “valores ateus” e suas supostas conseqüências (basicamente, coisas como ser a favor do aborto e do uso da camisinha e da clonagem de embriões). Um bispo brasileiro, exagerado, chegou a afirmar publicamente que “os ateus são pessoas más”, possivelmente porque muitos religiosos acreditam que a religião é a única fonte da moral. Logo…. ateus não têm moral. Mas não têm mesmo? Os ateus são em média mais imorais e maus do que os que têm religião? A evidência científica aponta que parece ser justamente o contrário… A Bíblia afirma, em Salmos 14:1, que “Diz o insensato no seu coração: Não há Deus. Corrompem-se e praticam abominação; já não há quem faça o bem”. Então serão os ateus insensatos ou tolos? Corruptos e abomináveis? Incapazes de fazer o bem? Quanto à questão das “abominações”, a evidência é incontestável. Um estudo feito em 1997 pela Federal Prison Board, dos EUA mostrou que enquanto que 75% da população carcerária americana se declara religiosa e crente em Deus, apenas 0,2% se declaram ateus ou agnósticos! (na população em geral eles já representariam cerca de 10%). O divórcio (um pecado, segundo o catolicismo, mas não segundo os protestantes) ocorre em 40% dos católicos americanos, 27% de evangélicos e apenas em 21% dos ateus… Ou seja, a crença em um pecado é inversamente proporcional à sua adoção… Além disso, não é preciso pesquisar muito na história para constatar que, em nome de valores religiosos, foram praticadas grandes mortandades, infindáveis guerras, horrendas atrocidades (como a Inquisição) e nefandos atos terroristas. Ou matar em nome de Deus não é uma constante insana da humanidade? Quem é mau, então? Numerosos estudos sociológicos têm demonstrado cabalmente que ateus, em geral, cometem menos crimes, respeitam mais as leis, e criam seus filhos com mais critérios morais e familiares do que a maioria dos que acreditam em Deus. Conclusão: não é preciso acreditar em Deus para ser moral e respeitador dos costumes e das regras sociais. Eu mesmo, por exemplo, sou agnóstico, criei meus dois filhos sem batismo, Deus ou religião, e podemos nos incluir tranquilamente entre as pessoas mais morais e sérias e praticantes do bem que eu conheço. Tolos? Veja só a lista dos “tolos” e “insensatos” que foram ou são ateus ou agnósticos: Albert Einstein, Charles Darwin, Stephen Hawking, Francis Crick, James Watson, Richard Feynman, Paul Dirac, Linus Pauling, Alfred Kinsey, Karl Popper, Carl Sagan, Edward O.Wilson, Marvin Minsky, Thomas Edison, B.F. Skinner, Marie Curie, Bertrand Russell, Noam Chomsky, Isaac Asimov, Sigmund Freud, Michel Foucault, Richard Dawkins, Steven Pinker, Daniel Dennett, Stephen Jay Gould, Steve Jobs, Thomas Jefferson, Denis Diderot, Auguste Comte, Friedrich Nietzsche, Arthur Schopenhauer, Karl Marx, Oscar Niemayer, George Bernard Shaw, Jorge Amado, Jorge Luis Borges, Gore Vidal, Jean Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Albert Camus, Robert Frost, H.G. Wells, José Saramago, Salman Rushdie, Mark Twain, Arthur Clarke, Michael Crichton, Milan Kundera, Marcelo Gleiser, Drauzio Varella, Ernest Hemingway, Kurt Vonnegut Jr., Luis Buñuel, Ingmar Bergman, Charlie Chaplin, John Lennon, Woody Allen, Angelina Jolie, Jodie Foster, Marlon Brando, Christopher Reeve, Juliana Moore, Jack Nicholson, Larry King, Chico Buarque, Paulo Autran e muitos outros. A nata da nata. Quase 40% de todos os cientistas declaram não ter religião. O ateísmo é muito mais prevalente entre pessoas de maior escolaridade, intelectuais e autores, do que no resto da população. Exceção: políticos (isso deve ser o resultado da democracia, ou seja. o fenômeno de seleção pelo eleitorado religioso, ou então medo de declarar publicamente seus “valores ateus”, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez uma vez, e perdeu a eleição para prefeito de São Paulo). Não fazem o bem? Os três maiores doadores de dinheiro para causas boas e nobres, de toda a história (conjuntamente doaram mais de 70 bilhões de dólares), George Soros e Warren Buffet (financistas) e o fundador da Microsoft, Bill Gates, são ateus declarados. Meu ídolo científico, o físico alemão Albert Einstein, eleito pela revista Time como a Maior Personalidade do Século XX (e erroneamente citado como sendo religioso) escreveu uma vez sobre isso: “Se as pessoas são boas apenas porque têm medo de punições, e esperam uma recompensa, então elas formam um grupo realmente lamentável“.

E disse tudo!

30 comments / Add your comment below

  1. Quá! “O ateísmo é muito mais prevalente entre pessoas de maior escolaridade, intelectuais e autores, do que no resto da população” – putz, além de minoritário, é elitista, presunçoso e preso a nomenclaturas. Milton, ganhaste em mim um crente! Padre nosso que estás… ai, caralho, não sei o resto bdessa merda! Puta que me pariu, sou ateu de novo!

    p.s.: as forças da obtusidade são eternas, as eternas, quando muito, são obtusas.

  2. Ateus podem ser maus assim como os religiosos também podem.
    Ao meu ver a maldade vem do ser humano, e mesmo aquele que acredita em Deus pode praticar a maldade.
    Aliás entrei no blog do Renato Sabbatini e o melhor foi ler a discussão que este tema sempre proporciona…chega até a desviar da questão principal abordada no texto…eu não entro em discussão, mas adoro observar os argumentos postos e o final da história que é sempre o mesmo…

  3. A questão teísmo e ateísmo é um falso dilema. Ambos, o que acredita e o que não acredita, embora se julguem adversários, estão vagando no mesmo labirinto do pensamento conceitual. Como diz um haiku: não concordo e nem discordo, apenas acordo.

  4. um anônimo deixou esta faz tempo no meu blog.
    Chances de um ateu acreditar em Deus:

    0% – Discutindo com alguém
    20% – Atrasado para o trabalho
    40% – Natal
    60% – Sendo seguido pela polícia
    80% – Quando não estudou para a prova
    100% – Vendo futebol

    soberba, exclusivismo, sentido de reserva moral e nenhuma autocrítica são os males de ateus, religiosos e blogueiros.

  5. Eu vi neste texto a mesma religiosidade encontrada nos crentes.
    Os cristãos dizem que o pecado favorito do diabo é a vaidade. O dos religiosos e ateus também.

    Há teorias que afirmam o ser humano traz em seu cérebro uma mentalidade religiosa, Acho que sim, mesmos os ateus comportam-se como tal.

    Esta comparação esquece que Hitler era ateu, como seu partido, e terminou por instalar uma religião de partido.

    Por fim,
    “Os homens bons fazem coisas boas, os homens maus as más, mas só a religião consegue com que homens bons façam coisas más”
    Richard Feynman

    Podemos extender este frase à religião lato sensu.

    Branco (agnóstico)

    1. Além de Bach outros que aqui são chamados de ateus
      Darwin : ele era profundamente religioso e sempre tentou coadunar sua teoria à religião (aliás o catolicismo oficial sempre o aceitou, algumas seitas protestantes que não)
      Einstein, eu li um texto dele próprio (traduzido é claro) dizendo que acreditava em deus. Num Deus de Spinoza. Isto mais parece um panteísmo, mas ainda é chamado de Deus.
      Jeferson não era ateu
      Diderot não era ateu, não era é católico e era um anticleical, mas chamava a si próprio de teísta (ou algo assim)
      Numa entrevista o Chico falou que rezou e já apelas para forças sobre-humanas. Um ateu ateu não acredita nisto.

      Primeiro alguém pode não ser religioso sem ser ateu. Parece que o autor mirou a igreja católica e udo fora dela é ateísmo. Em minha concepção, um ateu não é aquele que não acredita num senhor de barbas brancas nos controlando, mas na não existência de seres metafísicos que influenciem nossa vida. Na mortalidade da “alma” (lato sensu”.
      Admito que o panteísmo pode ser um pouco disto, mas é forçação de barra.

      Ainda, é interessante falar em nominar pessoas boas. Jeferson tinha escravos, Nicholson fora das telas é um mau caráter,Angelina Jolie?, etc. Hitler, a propósito, era ateu.

      Para mim dize que ateus são pessoas má é um absurdo, mas este texto tenta o contrário, outro absurdo. Coloca o não-ateu (como sou agnóstico, creio que estou incluído na categorai ateu para ele) como uma “bruxa” e só falta a inquisição.

      Último ponto:
      1 – Sempre se disse que era mais fácil eleger um negro que um ateu nos EUA, nós brasileiros já elegemos um ateu.

      Abraços
      Branco

  6. Olá..

    Primeiramente gostaria de concordar com o colega Ricardo acima e acrescentar que também Stephen Hawking não pode ser incluído na lista, conforme pode-se perceber quando este diz: “A probabilidade do nosso Universo surgir ao acaso é a mesma de um bando de macacos batendo em uma máquina, produzir um soneto”, mesmo assim, defender um ponto ou outro da questão, somente citando exemplos de pessoas que são a “nata” é usar de um argumento falacioso, Deus não deixaria de existir se Einstein ou a Angelina Jolie assim quisessem.

    Mas fora essas ressalvas, acrescento que o tema é bem relevante, e faz menção à completa arrogância dos que se dizem os “portadores da verdade”, como por exemplo a igreja católica apostólica romana, que em vez de agir como prega Jesus, com amor desinteressado, às vezes podem julgar um ateu como uma pessoa má, nisso eu concordo.

    Não sou ateu, mas penso que se somente existisse uma idéia da “divindade”, e esta fosse a do deus Judaico, o Legislador severo, que pune seus filhos com o fogo do inferno, provavelmente o seria. (Até Jesus discordou disso, quando por exemplo violou a lei do sábado) Ainda bem que pude conhecer outras idéias de “Deus”, como a hindu, e várias outras que podem muito bem ser conciliadas com o mais avançado conhecimento científico atual, como está acontecendo através de escritos de diversos cientistas da física quãntica, como Heisenberg, Plank, Amit Goswami, que estão desvelando os limites da ciência com a mesma perplexidade do sentimento religioso perante o inefável mistério da existência.

    Enfim, com isso quero dizer, que o avanço da ciência não significa necessariamente a distância do sentimento religioso. Os dois são complementares, assim como o Yin e o yang. Como disse Einstein: “A ciência sem a fé, é manca; a fé sem a ciência é cega.” As duas falam do mesmo Universo que nos é tão assombroso e maravilhoso.

    Portanto, não se pode defender tanto a religião, quanto o ateísmo usando somente de nomes famosos. Cada pessoa que tome consciência e siga o que achar melhor. Como disse o Dalai lama: “Se existe algo de útil para você, tome-o e pratique-o; quanto ao resto, deixe-o de lado”. Simples, conciso, profundo e prático…

    Gostaria de encerrar lembrando de uma passagem bíblica onde Jesus aceita o convite de um coletor de impostos (o coletor de impostos, Mateus) para se sentar à mesa com ele, escandalizando assim os fariseus. Desta forma que as pessoas ditas “religiosas” possam seguir este exemplo, e não classificar os ateus ou quaisquer outros que discordem de seus pontos de vista. E acho que esse era o intuito desse texto, mesmo que por fim tenha se desviado do rumo, tomando o mesmo argumento que visava combater: o de classificar os ateus como “nata”, e até discriminando as porcentagens de presidiários que acreditam em Deus! esté é o mesmíssimo argumento usado pelos “portadores da verdade”, que egoísticamente não aceitam pontos de vista diferentes do seu.

    Agradeço por levar-me a tais reflexões…
    abraço Fraterno

  7. Olá,
    Acho os comentários muito insensatos, realmente não se deve esperar muito. Hello lógica, hello raciocínio…!!!

    São fatos meus amigos!!! Se não compartilha, não aceita, é outra questão… É aquela velha frase, quem mt fala não tem nada a dizer!!

    Valeu.
    Roger.

  8. Todos os professos ateus e não-ateus são pessoas más. A aparente bondade de alguns pode ser traduzida na frase de Gilberto Amado: “A humanidade menstruada lava-se nas águas da filantropia”. Não há ninguém [bom ou] justo, nenhum sequer.” Só houve um aqui na terra que não herdou a maldade, porque nasceu sem a interferência do sêmen humano: Jesus. Ele disse a alguém que o chamou de “bom mestre”: Por que me chamas bom? ninguém é [inerentemente] bom, só Deus.”

    Não é por serem maus que os homens se tornam inaceitáveis aos olhos de Deus, e sim por não quererem se tornar bons. A mãe não rejeita um filho que nasceu cego ou aleijado, fisica ou espiritualmente. O que torna as pessoas más inaceitáveis aos olhos de Deus é elas não quererem tomar o remédio para se tornarem “bons”.

  9. Perfeita colocação,

    Maldita seja a religião e tudo que ela representa à humanidade, me encho de orgulho quando vejo que pessoas ainda tem essa visão de apoio ao ateísmo.

    e para fim deixo uma frase quanto aos “insensatos” ateus:

    “O homem sensato se adapta ao mundo; o insensato persiste em tentar adaptar o mundo a si mesmo, portanto, todo progresso depende do homem insensato.”

    Contato: andreylucas93@hotmail.com, para discutir esse assunto adicionem meu msn.

    Abraços..

  10. A exploração selvagem da espiritualidade humana por religiões não invalida a idéia de Deus, assim como a indústria da pornografia e de um mundo sem princípios não tira a grandeza do Sexo e da Ética.

    Religiões podem ser más e seus “deuses” também, se fôr assim que Deus as considera. Louve-se, na reflexão do Andrey Correa, a sensatez dos “insensatos” e condene-se a insensatez dos “sensatos”. Nem todo ateu é insensato, pois depende de que “deus” ele é “a-teu” – termo que etmologicamente significa “sem deus”, e não “que não acredita em Deus”. Os demônios crêem que há um só Deus, mas são ateus.

    O grande desafio é descobrir o Verdadeiro Deus – se ele existir dentro das religiões que o vituperam.

  11. Qualquer argumento da igreja católica contra os ateus deve ser encarado com ressalvas. Quem é mau ? um Dráuzio Varella que dedica a maior parte de seu tempo cuidando de doentes terminais e buscando formas de amenizar seu sofrimento ou um Bispo que nunca se debruçou num leito para mitigar a dor de um doente; e, não só acoberta um padre pedófilo mas também propicia que continue com sua vida de obcenidades ? Por que a Igreja católica é contra as pesquisas com as células-tronco ? Porque a igreja está no ramo de vender ou alugar lenços e para uma empresa dessas quanto mais lágrimas houver melhor. O obscurantismo da idade média teve tudo a ver com o autoritarismo da santa madre igreja.

  12. EU ACHO QUE CADA UM TEM QUE CUIDAR DA SUA VIDA !!!! EU POR EXEMPLO ”ERA” ATEU DEPOIS QUE DEUS ME MOSTROU QUE ELE REALMENTE AJE ,EM MINHA VIDA EU ACREDITO NELE…INDIFERENTI DE QUALQUER RELIGIÃO..ELE AMA A NÓS TODOS IGUALMENTE E SÓ ELE SABE A HORA EM QUE ESSAS PESSOAS QUE SÃO ”’ATEIAS”’VÕA ABRIR SEU CORAÇÃO….MUITAS PESSOAS ME PERGUNTAM DE QUE RELIGIÃO EU SOU E EU RESPONDO QUE EU SÓ VOU A IGREJA POR Q JESOS NOS DEU EXMPLO DE IR A CASA DO PAI ,,,,MAS EU NÃO FICO FALANDO DE IGREJA PARA NINGUEM”’OBS”ELAS QUE ME PERGUNTAM …O MAL OU O BEM ESTÁ DENTRO DO CORAÇÃO DE CADA UM E EU VI ISTO AO ANALIZAR QUE EU CONVERSO COM TUDO QUANTO É PESSOA POIS SOU COMERCIANTE…..EU CONCLUI QUE A INVEJA É UMA COISA QUE NÃO PRESCISA DE RELIGIÃO, E SIM QUE VEM DE PESSOA PARA PESSOA…TEM PESSOAS QUE ME VIRAM ANTES NO FUNDO DO POÇO E QUE HOJE ME VEEM BEMM ”’POR QUE ME VEEM COM CARRRO E COM BENS MATERIAIS ME PERGUANTAM O QUE EU FASSO ,,EU SÓ SEI QUE NUNCA FUI A IGREJA E OREI PEDINDO POR NADA MATERIAL MAIS SIM POR PAZZZZ..E DEUS DA CONFORME O CORAÇÃO DE CADA UM.. EU AJUDO PESSOAS MAIS NEM PORISSO EU FICO FALANDO..BASTA EU E MINHA CONCIENCIA COM DEUS

  13. Acho que sou católica. Digo “acho”, porque quase não vou mais à Igreja Católica e tenho profundo desprezo pelas suas instituições, cargos, hierarquias e seu blablablá. Quando vou à Igreja, é para me sentir próxima a Deus e agradecer (e pedir, é claro, hehehe). Talvez fosse melhor dizer que sou cristã, em vez de me declarar católica… sei lá.
    O que eu sei é que dizer que “ateus, apenas por serem ateus, são maus” é algo extremamente anti-católico (anti-cristão, uaréver). No fim das contas, ateu, religioso, tudo é apena rótulos – o que importa é que seja feito o bem. Assim, se existe um Deus, um inferno e um céu, tenho certeza de que o ateu bom vai ao céu, o católico mau vai ao inferno.

    Abs,

  14. Tem até jogador de futebol nessa lista. Agora faça a lista das mentes brilhantes que tinham religião.

    Ah, Einsten era um deísta, porra, parem de mentir quanto a isso, ateus!

  15. Gabriel, Einstein parece ter sido pandeísta (uma mistura de deísta com panteísta) durante grande parte de sua vida. Mas, segundo uma carta recentemente descoberta, e que foi escrita por ele apenas 1 ano antes de sua morte, fica evidente que Einstein se tornou ateu no final da sua vida.

    Veja o que diz a carta:

    “A palavra Deus para mim é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis”. (Albert Einstein)

    “Para mim, a religião judaica, como todas as outras, é a encarnação de algumas das superstições mais infantis. E o povo judeu, ao qual tenho o prazer de pertencer e com cuja mentalidade tenho grande afinidade, não tem qualquer diferença de qualidade para mim em relação aos outros povos.” (Albert Einstein)

    “Até onde vai minha experiência, eles não são melhores que nenhum outro grupo de humanos, apesar de estarem protegidos dos piores cânceres por falta de poder. Mas além disso, não consigo ver nada de ‘escolhido’ sobre eles”. (Albert Einstein)

    Para maiores informações: http://ateusdobrasil.com.br/p/244/

  16. Religião é uma coisa. Quando institucionalizada em forma de poder, deixa de ser religião. Isso é uma obviedade em termos históricos e antropológicos.
    Outra obviedade é que a noção de igualdade como entendida no Ocidente é produto da ética israelita, salvaguardada pelo cristianismo romano.
    Logo, a moral (toda moral é histórica) ocidental moderna é cristã. A questão do indivíduo negar a fé não importa. Culturalmente e éticamente todos são cristãos, portanto.
    Quais as fontes destes dados estatísticos? No Brasil se sabe que a religião enquanto instituição (não mera crença, mas sim frequentar a igreja, receber a doutrinação) é forte instrumento civilizatório. Não é preciso de dados para enxergar isto.
    E por que fazer questão de afirmar que o ateísmo é maior entre pessoas de maior escolaridade (uma obviedade de dar só — até meu ventilador sabe disso)? Qual o objetivo disto? Querem salvar a população de seu próprio mal? Messianismo idealista totalitário? Só os cegos não enxergam o mal desse esquerdismo pedestre e antidemocrático. Trocar o cristianismo pelo marxismo. Bela mudança.
    E que falácia usar citar pessoas atéias ou agnósticas. Nata da nata? Niemayer (serve para artista, mas isto não quer dizer nada do ponto de vista de claridade do pensamento político) e Sarte são uns totalitários. Hawking um néscio na ciência. Chomsky outro (que se diz antitotalitário mas por outro lado é um completo ignorante em termos de História e cujas contribuições na linguística não passam de obviedades supervalorizadas pelo aspecto político). Até o Jack Nicholson (nata do que mesmo? Risos)! Enfim, Bach (para citar um artista) e Tomás de Aquino (como pensamento racional) põe todos no chinelo.
    De qualquer forma, o texto todo é pura falácia que nem mereceria ser comentada, mas que o foi porque o autor não Pra que cair no esquerdismo rasteiro, Milton? Justo você que pelo que tenho acompanhado nos blogs parece um cara democrático, com valores. Enfim, um cara com nível.
    Não consigo entender. Você que lê Joyce e que conhece como poucos na província a música ocidental. Mas cai nestas armadilhas. Prova de que arte é arte (símbolo) e não sai disso.

Deixe uma resposta