Porque hoje é sábado, Anna Karina

Hanne Karin Blarke Bayer nasceu na Dinamarca. Aos 17 anos, após uma última briga com sua mãe…

… fugiu para Paris. Ela descreve sua infância como uma desesperada, constante e mal sucedida …

… tentativa de ser amada. Fugiu de casa muitas vezes, até fazê-lo definitivamente.

Em Paris, não tinha dinheiro nem falava francês. Vivia nas ruas.

Então, começa o conto de fadas. Uma publicitária cruza com ela na rua e lhe pede algumas fotos. Ela conhece …

… Coco Chanel e Pierre Cardin que a tomam como modelo. Cardin lhe batiza Anna (de Hanne, seu nome)…

Karina (de carina, bonita em italiano). Então, Jean-Luc Godard a vê numa série de propagandas…

… para o sabonete Palmolive e a convida para atuar num de seus primeiros filmes: Acossado.

Ela recusa o papel, mas ele a convida novamente para o seu filme seguinte: O pequeno soldado.

Em seu segundo filme com Godard, Uma Mulher É uma Mulher, já ganha o prêmio de melhor atriz do Festival de Berlim.

Chega ao ponto de casar com Godard, faz mais uma dúzia de filmes com ele, mesmo após o fim de seu casamento.

Hoje, Anna Karina é cultuada como a mais importante atriz da nouvelle vague

… e também símbolo de mulher elegante e talentosa. Escreveu roteiros de filmes…

… atuando dentro e fora da França, com diretores como Visconti, Rivette, Fassbinder e Cukor.

Particularmente, acho que o belíssimo rosto de Anna Karina encerra em si o próprio cinema.

O bom cinema. O realizado numa época em que nem tudo era resultado de exigências mercadológicas.

Ou, como diz minha filha, que digita este texto ditado por mim, EU A AMO!!!

5 comments / Add your comment below

  1. Os pais devem estar atentos às leituras que julguem inapropriadas, Allan.

    Grande abraço, rapaz!!! A Claudia está por aí, mas não passará por Piacenza.

Deixe uma resposta para Allan Cancelar resposta