Uma cueca para elevar a autoestima masculina

A rede varejista britânica Marks & Spencer está vendendo uma cueca tranquilizadora para os homens que têm problemas de autoestima. Pelo equivalente a 15 dólares, você pode ver surgir a aquela genitália avantajada com a qual não nasceu. De frente e perfil.

Segundo a empresa, agora os homens podem desfrutar as mesmas tecnologias que têm há muito tempo servem às mulheres: roupas que melhoram as formas, como o Wonderbra. Dizem que ao menos a confiança vai às alturas.

Confortável para andar e sentar. Adaptável. Escamoteável. Apalpável. A publicidade diz que as cuecas deixam sua genitália abaulada em mais de 40%. Porém…, a empresa produz também outro estilo de roupa íntima; afinal, você pode também querer aumentar sua bunda.

As cuecas vêm em preto e branco e  podem ser compradas através da Internet. Ah, a Marks & Spencer também fabrica camisas que escondem a barriga e mostram músculos inexistentes.

12 comments / Add your comment below

  1. O negócio é namorar mulheres míopes. A miopia borra a visão e tudo parece um pouco maior. Como elas não fazem sexo de óculos (salvo taras específicas), o “coiso” parece efetivamente maior.

  2. Digamos que você seja, ahn, bem dotado. Digamos que a mulher esteja vestindo, por baixo da roupa, uma daquelas malhas que se ajustam ao corpo ajustando-o por completo. Digamos que ela tire a malha diante de seus olhos em um local com luz o bastante para voc~e perceber o fiasco. Será legal: ela também porderá olhar para seu brinquedinho murcho. Propaganda enganosa é ruim para os dois. Assim, essa cueca promete o mesmo efeito final da malha. E, sinceramente, por que as mulheres preferem mesmo os Garrinchas?

      1. Pelas minhas consultas pessoas, ao menos 30% das mulheres preferem os Garrinchas, enquanto 90% delas tem curiosidade a respeito mas, quando satisfeitas, retornam ao volume Standard (segundo me dizem, os mais avantajados provocam mais dores que prazer, ou prazer nenhum mas muitas dores).

        Felizmente nunca conheci uma mulher recomposta com malha, e muito menos com orifícios…

  3. Eu tenho um conhecido que, apesar da medianidade de seus assuntos, aprendi a respeitar depois que ele, numa reunião entre amigos, confessou em público que tinha feito uma tatuagem em seu pênis. Tatuara a singela e enigmática palavra “aspi”. Aspi?, perguntamos. É, ele respondeu, nas noites frias é o que se lê, mas tendo paciência para esperar uma reação natural, o que se lê em linha reta é: “Há… que saudade do povo querido e acolhedor de Pinhamonhangaba, cidade amiga!”. E sobrou ainda um pequeno espaço para desenhar o mapa da cidade referida. Nunca tive a paciência e o interesse para comprovar.

Deixe uma resposta