Porque hoje é sábado, Laura Antonelli

Eu tinha 16 anos e ela 32 quando praticamente estreou em Malícia, filme de 1973.

O filme trazia ela, Laura Antonelli, e não se falava de outra coisa em minha casa.

Estávamos todos apaixonados. Depois vieram rapidamente mais dois filmes

que todos viram: Esposamante, de Mario Vicario, e O Inocente, de Luchino Visconti.

Lembro das pessoas falando, lembro de quantas vezes meus colegas de aula

diziam ter visto Esposamante, de todas as punhetas (homenagens)

que eles e eu dizíamos ter batido (realizadas em honra dela).

(Vai uma depilaçãozinha, aí, querida?)

Meu deus, o número de ejaculações que esta mulher causou nos anos 70,

fariam o sertão virar mar.

(Acho que vai ser difícil tocar violoncelo com o instrumento todo torcido assim…).

Ai, bom, continuemos.

E ela, além de bonita, era boa atriz, ainda mais quando depilada…

Vocês pensam que fez filmes com Visconti, Scola e Bolognini por quê? Por ser ruim?

(Desculpem, mas o braço da poltrona acima é igual ao de duas que tínhamos em casa).

Mas ela só foi lá em casa na minha imaginação, ela nunca me serviu chá.

Nem me olhou assim.

Muito menos fez essa carinha. (Só em imaginação, repito).

Nem foi a responsável por meu ateísmo.

Eu garanto.

Apenas foi responsável por grandes e viscosas

lembranças da adolescência.

.oOo.

Bem, vamos a um pouco do que ocorreu depois com a grande Laura Antonelli. Em 2010, o ator italiano Lino Banfi apelou às autoridades do país para ajudá-la financeiramente. Ela, mito cinematográfico dos anos 70 e 80, quando recebia milhões, vivia há mais de uma década com uma pensão de 510 euros por mês e estava doente.

Sem vê-la há 22 anos, Banfi procurou a atriz publicando uma carta no jornal Corriere della Sera. Ela, em 2010 com 69 anos, respondeu a seu apelo dizendo que “achava que não tinha muito tempo de vida, mas que gostaria de morrer com dignidade”.

Depois da fama, Antonelli foi largando o cinema pouco a pouco em razão da depressão. Em 1991, produziu uma refilmagem de Malícia. O filme foi um completo fracasso. A condenação de três anos por porte e tráfico de cocaína não melhorou em nada sua situação. Após nove anos sob intenso massacre da mídia, o processo foi finalizado com sua absolvição e um pedido de desculpas. Neste ínterim, Laura submeteu-se a uma cirurgia estética. Deu tudo errado e ela ficou com o rosto totalmente desfigurado. Nego-me a mostrar uma foto atual.

Ela agradeceu ao apelo de Lino Banfi, mas garantiu que não quer “voltar a dar entrevistas ou aparecer na televisão”. “Sou grata a Lino. Um auxílio poderia me dar uma vida mais tranquila, mas também tenho o desejo de que me esqueçam”.

Espero que ela me perdoe.

Pois eu e o PHES não podemos te esquecer, Laura Antonelli.

E, se alguém quiser ver Esposamante, aí está:

8 ideias sobre “Porque hoje é sábado, Laura Antonelli

  1. Pelas minhas contas, aos três minutos do sábado o PHES vai ao ar. Grande Milton Ribeiro, uma grande homenagem (sem duplo sentido, ok?) a Laura Antonelli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>