Em livro, Koff confirma auxílio para o Grêmio sair da Série B em 1992

Compartilhe este texto:

fabio-koffNo livro Fábio André Koff, Memórias e Confidências — o que faltou esclarecer, depoimento do ex-presidente do Grêmio nos períodos de 1982-1983, 1993-1997 e 2013-2014, concedido a Paulo Flávio Ledur e Paulo Silvestre Ledur (Ed. Age, 2a. edição), há um trecho que põe por terra um dos mitos gremistas, o da volta “honesta” para a primeira divisão em 1992. O livro conta os bastidores das principais conquistas de Koff no clube e outros detalhes deliciosos. Sabiam, por exemplo, que Koff foi técnico de futebol?

O livro completo encontra-se neste link. Mas o que nos interessa é esclarecer um ponto que os gremistas adoram negar: que houve uma enorme colher de chá para que o clube voltasse à primeira divisão em 1992. Houve. E com a participação do ínclito Eurico Miranda. Vejam abaixo a palavra do ex-presidente do Grêmio:

livro-koff

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

23 ideias sobre “Em livro, Koff confirma auxílio para o Grêmio sair da Série B em 1992

  1. Muito se fala da virada de mesa em 1992 que beneficiou o Grêmio que acabou em nono lugar…PORÉM, algumas coisas precisam ficar claras. O Grêmio não recorreu a instância alguma para a mudança de regras, elas foram mudadas ANTES do início da competição. Era para ser disputado entre 24 equipes, mas acabou em 32. Na primeira fase, disputada em grupos, o Grêmio se classificou entre os 12 que subiriam a série A. A segunda fase era para ser um mata-mata…o Grêmio iria jogar contra o Remo de Belém do Pará, mas visando redução de custos, esta fase acabou sendo disputada em 3 grupos. Passariam para a próxima fase os dois primeiros totalizando seis clubes que continuariam disputando em nova fase. Nesta altura do campeonato, já classificado, o Grêmio não deu mais importância para a competição, pois já tinha a vaga para a série A garantida…..deixando bem claro, o Grêmio não tinha o menor interesse em continuar na competição. O Fortaleza, que não tinha se classificado entre os dois primeiros do seu grupo, conseguiu no STJD a sua continuidade na competição porque tinha tido excelente desempenho nas outras fases…para não ficar um número ímpar para a próxima fase, o Grêmio, que era o próximo não classificado com melhor campanha, foi convidado para a próxima chave compondo no total 8 clubes, porém o Grêmio não aceitou continuar na competição e parou por aí……por isso ficou em 9 lugar, simplesmente porque a partir da segunda fase não tinha mais o mínimo interesse em continuar, largando praticamente a disputa que não lhe interessava. Espero que o resgate histórico tenha ficado claro.

  2. Exatamente, Glenio. Em 25/01/92 saiu na capa do esporte do Correio do Povo o resumo da fórmula do campeonato. Mas alguns desonestos intelectuais, que não se dão ao trabalho de pesquisar repetindo mentiras deslavadas, ainda dão eco à falácias.

    • Jornais não conhecem bastidores, Fábio Koff, com certeza não só os conhece, como participou ativamente deles, as diversas alterações no campeonato só reforçam o que Ele falou.

      • Jornais não voltam no tempo, também. Se a fórmula saiu antes, como de fato saiu, é impossível que tenha mudado “nos bastidores” com o torneio em andamento.

        • Tanto falam na subida do Grêmio em 1992, mas não vejo ninguém comentar o não rebaixamento do Internacional na operação Paysandu de Belém do Para para evitar o rebaixamento.

  3. Kkkkkk tá comprovado que o regulamento foi modificado para beneficiar o grêmio que ficou atrás do Remo, do Paraná clube, Fortaleza, Santa Cruz, união são João….vejam senhores ficar atrás dos campeões do mundo kkkkkk quanta dignidade e quanta honra em ficar atrás destes campeão de tudo kkkkkk kkkkkk

  4. Mais vergonhoso foi voltar pra série A em 1993 e ficar no grupo dos que não poderiam ser rebaixados.. Foi tão fiasco que em 1993 cancelaram a série B.. Que bandalheira!

  5. Quando nesta encarnação Eurico Miranda ocupou cargo na CBF?
    Pesquisem e verão que isto nunca existiu, o velho gremista já está caduco ou alteraram alguma coisa no depoimento dele.
    Deixem o Vascão e seus diretores de fora desta discussão.

  6. Das duas hipóteses, apenas uma pode ter ocorrido:

    – O velho Koff foi traído pela memória (pois o regulamento foi alterado ANTES do início do campeonato – como PROVAM os jornais da época – inclusive o Correio do Povo);

    – Ou os autores do livro entenderam tudo errado (não acredito em má-fé porque os registros de jornais da época comprovam que a história do livro está ERRADA).

    Houve uma alteração no decorrer do campeonato, relativa à segunda fase. Mas não houve alteração com relação ao acesso dos 12 clubes, previstos desde o início.

    Um link com a imagem do Correio do Povo, de 25/01/1992:

    http://almanaqueesportivo.final.com.br/2010/04/11/esclareca-a-duvida-virada-de-mesa-de-1992-sim-ou-nao/

    Como podem ver, subiriam 12 desde o início, sem virada de mesa.

    Podem reclamar dizendo que o Grêmio foi favorecido (ninguém nega). E o velho presidente Koff deve ter brigado politicamente para o aumento de vagas, talvez daí a confusão dele ou dos autores.

    Mas que foi antes de o campeonato começar, isso foi!

    Em nome do profissionalismo jornalístico, e em nome da História dos fatos, deverias explicar, utilizando as fontes da época, o que realmente aconteceu. As memórias – mesmo as do Koff – são traídas pelo tempo.

    Atenciosamente,

    Fábio Augusto.

  7. É NOTÓRIO QUE SEMPRE HAVERÁ INFORMAÇÕES CONTRÁRIAS E FALSAS. COMO ESTA AI EM CIMA PORQUE NEM PARA CORRIGIR : FICOU EM 9º E NÃO EM DÉCIMO KKKKKKKKK É CONTAGIOSO ENTRE CHOLORADOS SEMPRE ALTERANDO DOCUMENTOS PRA PREJUDICAR KKKKKKKKKKKKKKK…..E SE FOSSE O CASO OUTRO FATO É QUE FOI A CBF QUE FEZ AS ALATERAÇÕES E QUE MAIS CLUBES ESTAVAM NESSA REUNIÃO. INTER FALSÁRIO SEM MORAL !

  8. E A REUNIÃO QUE ELE FALA FOI ANTES DO CAMP. COMEÇAR. A CBF ESTAVA ORGANIZANDO A RECÉM O CAMP. BRASIL. “B” 92 . NO ANO SEGUINTE EM 1993 PRA VOCES SABEREM NÃO HOUVE REBAIXAMENTO ALGUM. E Fluminense, Bahia, Botafogo e Atlético-MG fizeram campanha pior que muitos dos rebaixados e não caíram por força do regulamento, sendo que o clube carioca e o clube mineiro terminaram na penúltima e última posições daquele ano.

  9. Tanto é engano (ou mentira) o que está no livro que o Eurico Miranda não era dirigente da CBF em 1992. Ele foi diretor de futebol da CBF durante 6 meses em 1989. Portanto essa “lembrança” descrita no livro é simples caduquice…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *