Em Berlim (VIII)

Compartilhe este texto:

Como tirei poucas fotos naquele dia 10 de janeiro de 2017, só sei que ele começou com uma ida ao Foyer da Filarmônica para assistir a um recital gratuito e esqueci do resto. Sim, para quem está em Berlim com pouca grana ou muito tesão de ouvir música, é bom conferir no site porque, semanalmente, há excelentes recitais gratuitos no local. E, como mostram as fotos abaixo, é adequado chegar cedo. Nós tivemos que sentar no chão porque entramos dez minutos antes do início da função. Vejam só, tem gente em cadeiras, pelas escadas, nas galerias de cima, pelo chão, etc. Não há espetáculo vazio em Berlim.

DSCN0881

Nosso amigo Guilherme Conte explica que “tem uma coisa bem simpática sobre essas cadeiras nos concertos gratuitos: elas são para a terceira idade, independente da ordem de chegada. Pode notar, na foto, a imensa maioria é de cabeças branquinhas, só tem um ou outro gaiato no meio. Senta ali quem precisa, e não quem chega antes. Bem alemão.”

A foto acima e a de baixo são de antes do concerto…

DSCN0882

que teria as seguintes peças (clique na imagem para ler melhor):

DSCN0883

Bem, era um recital com a Sonata para Violino e Piano de Franck (transcrita para violoncelo) e a Sonata Nº 3 para Violino e Piano de Brahms.

DSCN0884

Como disse, era um programa gratuito das 13h com as cadeiras todas ocupadas, escadas e chão lotados de gente acomodada sobre seus casacos ou encostadas nas colunas. Pela primeira vez em mais de três anos, eu e Elena discordamos.

DSCN0886

Ela gostou do Franck e detestou a interpretação do violinista em Brahms, eu detestei o Franck e curti Brahms. Muitas caras concentradas nas fotos.

DSCN0887

A Elena ora encostava-se numa coluna,

DSCN0889

ora encostava-se numa coluna.

DSCN0892

Como todo mundo, estava concentrada.

DSCN0893

Assim como a senhora acima.

DSCN0894

E a menina que só queria saber de ler seu livro com trilha sonora.

DSCN0897

E, bem, esta é uma das esquinas da quadra da Filarmônica.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Uma ideia sobre “Em Berlim (VIII)

  1. Por que você detestou o Franck? A interpretação foi ruim mesmo ou foi a transcrição para violoncelo que não soou tão bem quanto o violino?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *