24 senadores, 39 deputados, 3 governadores e 8 ministros de Temer na lista da Odebrecht. E eles te “representam”, votarão Reformas, etc.

Compartilhe este texto:

O que deve acontecer? Creio que nada. A fim de baixar a poeira, os indiciados esvaziaram o Congresso, anteciparam o feriadão e segunda-feira voltarão a trabalhar para quem financiou suas campanhas. Ou seja, seguirão fazendo seu trabalho de desmonte dos direitos do trabalhador.

Notem que os os presidentes das duas Casas, Senado e Câmara de Deputados, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), estão na lista comandada por Aécio e Jucá, com 5 inquéritos cada um.

Os gaúchos presentes são o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), os deputados Marco Maia (PT) e Ônix Lorenzoni (DEM), as deputadas Maria do Rosário (PT) e Yeda Crusius (PSDB), mais Humberto Kasper e Marco Arildo Prates da Cunha, que integraram a direção da Trensurb.

Aecio lista do Fachin Sul21

O que acontecerá agora? Agora, com a autorização do Supremo para a abertura dos inquéritos, a Procuradoria-Geral da República (PGR) passará a comandar a apuração dos investigados. Este órgão poderá solicitar a ajuda da Polícia Federal, pois serão conduzidas diligências e colhidos depoimentos. Durante essa etapa, o órgão pode pedir a quebra do sigilo telefônico ou bancário e a prisão preventiva dos investigados, com autorização prévia de Fachin.

Se, ao fim do inquérito, houver indícios de que os investigados tinham cometido crime, a PGR poderá apresentar denúncia ao STF. Só a partir do momento em que o STF aceita a denúncia, o denunciado passa à condição de réu e começa a responder ao processo judicial.

Além do processo no Judiciário, os investigados podem ser penalizados com a possível cassação do mandato, mas isso dependerá da decisão do Congresso.

O desfecho do caso ainda está bem distante — e há temores de que mudanças legislativas evitem a punição de parte (ou da totalidade) dos crimes cometidos, claro. As denúncias apuradas na Lava Jato levaram em média 5,5 anos para serem julgadas. Se seguirem essa média, os julgamentos da lista de Fachin chegariam a uma conclusão no final de 2022.

Até lá, eles já terão acabado com todos os teus direitos. Deste modo, ou tu protesta ou dança. A lista nada alterou.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

3 ideias sobre “24 senadores, 39 deputados, 3 governadores e 8 ministros de Temer na lista da Odebrecht. E eles te “representam”, votarão Reformas, etc.

  1. Vamos aguardar, mas há algo muito sério a ser avaliado.
    Deputados como Tiririca e ou pior Bolsonaro não estão nesta lista e isso tornará as próximas eleições imprevisíveis e preocupante..

  2. A situação é seria demais. Não existe representatividade, 99% dos políticos estão comprometidos e a sociedade parece não reagir. Também, depois do impeachment vale tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *