Biblioteca pronta! As quatro paredes:

Tô podre. Segunda volto a trabalhar. Preciso descansar dessas férias.

CDs com alguns livros

Livros

Interno

Externo

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Classe média sofre II: a dureza de se construir uma biblioteca

Depois de uma angustiante e trabalhosa semana, a biblioteca do Solar da Gaurama está quase pronta, apenas faltando colocar em seus lugares essas porcarias que meus sete leitores podem ver esparramadas pelo chão. As costas doem e tenho a impressão de ter caminhado o correspondente a uma volta ao mundo dentro de casa. É horrível como a Classe Média sofre. Foram uns 3 mil livros, 2 mil CDs e 1,2 vinis contados. Eu e a Cíntia Moscovich estamos totalmente com a razão. Hoje, gritamos indignados “CLASSE MÉDIA SOFRE !!!”. Houve atraso na entrega das prateleiras, erros de medição e todas as pequenas desgraças que acompanham nossa sofrida e briosa Classe. Agora, afinal, todas as quatro paredes estão tomadas por livros encontráveis e em sua devida ordem. Não vou repetir meu bordão porque vocês já o conhecem. (Fotos de minha filha Bárbara).

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

A Evolução da Biblioteca

Situação da biblioteca do Solar da Gaurama, às 18h19 de sexta-feira.

Outro ângulo.

O ângulo do faquir.

Aqui, o importante são as rodinhas que ali estão para que os 1200 vinis possam passear.

Foto de merda. Nada deu certo.

Alguns livros bem detonados.

A situação no domingo, às 9h29 da manhã.

Quatro minutos depois.

E agora, segunda-feira? Vejam o resultado do trabalho deste que vos escreve.

Eram 12h10.

E a gente até já consegue redescobrir uns livros! Agora, faltam 3 paredes menores.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Um problema de peso: a invasão da sala pela biblioteca

Quem vem aqui em casa está acostumado com a imagem abaixo, que era a da biblioteca ontem pela manhã, domingo (18/11). Nossos livros nunca puderam ser organizados por que faltou área para eles. Então eles estavam em duas filas, inorganizáveis.

Vejam a confusão. Drácula, Eco, Machado, Backes, Carver, Bolaño…

Cervantes, Brecht, Pynchon, Hoffmann, Schnitzler….

Então, ontem à tarde, começou a revolução. Praticamente sozinho, tirei todos os livros. Hoje de manhã a coisa estava assim.

E depois ficou assim.

Que tristeza e que dor nas costas!

Não apenas os 3 ou 4 mil livros foram desalojados, como também meus 1200 vinis.

A sala de tantos Festins Diabólicos não poderia mais ser chamada de sala.

Vinis pesam pra caralho! O caminho para a cozinha está dificultado.

A frente do sofá.

A mesa de tantos prazeres gastronômicos e sociais.

Não dá também para ir à janela a fim de ver quem está chegando.

A mesa, novamente.

É o caos completo.

Em meio a isso,

o imbecil escreve posts em seu blog.

E come muito mais do que o prato acima. Muito mais mesmo.

P.S. — Estou em férias por 15 dias. Missão: Biblioteca. Ah, sobrarão muitos livros para bibliotecas. Só hoje, vi que tenho 4 Veias Abertas…

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!