Tarciso (1951-2018)

Tarciso (1951-2018)

Tarciso foi excelente jogador e ser humano. Lembro da primeira vez que o vi jogar. Ele era do América-RJ e pegou uma bola no meio de campo. Ganhou velocidade e evidentemente perderia a bola para Pontes, zagueiro do Inter que o perseguia e que era conhecido por sua rapidez. Engano. Tarciso foi até lá dentro da goleira do Inter. O resultado foi Inter 0 x 1 América-RJ. Logo veio para o Grêmio onde foi merecidamente ídolo. Mesmo ele sendo gremista, gostava dele.

gremio.net

O deserto tático do futebol brasileiro, por Thomaz Santos

O deserto tático do futebol brasileiro, por Thomaz Santos

Essa noite um amigo meu (que chamarei de “palestrinha”) levantou uma questão interessante em um grupo do Facebook sobre futebol quando comentou que o campeonato japonês, embora tecnicamente ainda fraco e fisicamente abaixo do nosso campeonato nacional, encerrado neste domingo, está muito acima do futebol praticado aqui no que diz respeito à organização tática. E ele pode ter muita razão em dizer isso, e mesmo discordando dele em 99% das discussões futebolísticas, vou tentar justificar porque dessa vez concordo com ele.

Bueno, sempre gosto de lembrar uma história do Inter dos anos 1960/1970, que foi o debate interno entre dirigentes (os chamados “Mandarins”, termo usado pelo Luis Fernando Verissimo para se referir ao grupo político que chegou ao poder no clube na virada da década e que foi responsável por mudar a gestão de futebol do clube) sobre quem deveria ser titular no time treinado pelo Daltro Menezes: se Bráulio, o Garoto de Ouro, joia da base colorada e que era um jogador extremamente técnico, ou Sérgio Galocha (*), nem de longe um primor de técnica, mas um jogador fisicamente forte e veloz.

Montagem da página História do Sport Club Internacional (Facebook)

Pois então, os Mandarins entendiam que um jogador de futebol tinha três atributos básicos: técnica, força e velocidade. E, para ser jogador do Inter daqueles anos, o jogador tinha de ter no mínimo duas dessas habilidades. Falcão, que subiu aos profissionais em 1973, por exemplo, era um primor nos três atributos, assim como Figueroa, contratado em 1971. Mas Valdomiro, chegado ao clube em 1968 e titular absoluto até 1979, era tecnicamente muito limitado, dependendo quase que exclusivamente da bola parada (os gols nas finais do Campeonatos Brasileiros de 1975 e 1976 saíram todos, direta ou indiretamente, de suas cobranças de falta), mas extremamente forte e veloz.

Voltando ao debate inicial, quem deveria ser titular: o Garoto de Ouro, que era extremamente técnico mas fisicamente frágil e não muito veloz, o ou Galocha, que até sabia chutar uma bola mas tinha como vantagem mesmo ser forte e rápido? Ganhou a regra do “melhor de 3” dos Mandarins e uma nova forma de pensar o futebol nascia.

E o que essa história tem a ver com a questão levantada pelo meu amigo? Porque, quase 50 anos depois, ainda escolhemos jogadores da mesma forma, mas com um quarto atributo básico: a famosa “obediência tática”. Hoje, nossos jogadores precisam ser aptos a cumprir diversos papéis em campo: goleiro tem que saber sair jogando com os pés, zagueiro tem que saber atacar, todos os jogadores de meio-campo precisam participar do jogo ofensivo e defensivo e atacante que não marca o zagueiro adversário não tem lugar no futebol moderno. Podem ver, o cara é tecnicamente fraco, lento, pesado, mas forte e “cumpre bem sua função tática”. Pronto, é titular absoluto com venda para a Europa garantida. Agora, com 4 atributos, ainda bastam dois, mas um deles sempre será a obediência tática.

Tite | Foto: Wikimedia Commons

Só que esses mesmos critérios usados para selecionar jogadores e montar elencos não são levados em conta na hora de formar e contratar técnicos de futebol. Sério, a formação de técnicos de futebol, sobretudo no que diz respeito a tática, é uma piada no Brasil. A própria Argentina, que tem diversos problemas no seu futebol nacional, forma mais e melhores técnicos do que nós, e eles muitas vezes são disputados a tapa pelo mercado europeu.

Então, mesmo não tendo visto um jogo sequer no campeonato japonês, concordo com palestrinha (ou melhor, acho que eu sou o palestrinha do grupo, levando-se em conta o quanto eu já escrevi) que o futebol jogado no Brasil é uma mixórdia tática, e a prova disso é que o melhor treinador brasileiro da última década não conseguiu fazer o a Seleção Brasileira jogar na Copa tudo o que podia, e isso é função única e exclusiva do técnico, fazer o time jogar.  Mas isso não vai ser resolvido com, sei lá, a vinda do Guardiola. Tem que pedalar a porta da CBF, mudar o calendário do futebol nacional, reformular TODAS as categorias de base no Brasil e ocupar os cursos de formação de técnicos de futebol com gente que não vive ainda em meados do século XX.

.oOo.

Thomaz Santos é professor do curso de Relações Internacionais da UFSM e acha que entende mais de futebol que a crônica esportiva gaúcha.

(*) Nota do Milton: o “Galocha” de seu apelido foi-lhe atribuído por um motivo agressivamente racista — segundo os braulistas, Sérgio seria preto e mole. Os narradores e comentaristas da época chamavam-no apenas de Sérgio, mas o tempo consagrou o Galocha.

Bom dia, Odair, (com os melhores lances de Inter 2 x 0 Flu)

Bom dia, Odair, (com os melhores lances de Inter 2 x 0 Flu)

Meu caro Odair.

Tu gostas de perder tempo. Ou respeitas algum acordo equivocado com teus jogadores. Pois passar o primeiro tempo com o atual Patrick no time é pura perda de tempo. Não sou favorável a fazer uma troca de técnico para 2019 — teu trabalho foi antecedido por diversas tragédias –, mas, credo, tu és muito lento na mudança de escalação.

No início do segundo tempo, quando entrou Rossi, que não é nenhuma Brastemp, no lugar de Patrick, o time respirou melhor e reais jogadas de linha de fundo apareceram, apesar de que os bons cruzamentos do bolsomínion eram desperdiçados Jonatan Álvez, outro problema.

O primeiro gol de Nico foi uma obra de arte. | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Mas quem resolveu o jogo foi o artilheiro, né? Que golaços fez Nico López! Digam o que disserem, jogadores como Nico são imprescindíveis. Tem gente que não chuta, que tem medo de errar, que é cagona. Outros, como Nico, não tem o menor receio de errar e acaba salvando o time por ter um chute violento. Grande Nico!

As outras observações são repetições. O Inter é leeeeento. Dale jogou bem, Fabiano foi Fabiano, Dourado jogou muito, Iago foi mal (e fez várias opções tolas em passes). Ou seja, não houve grandes surpresas.

Então, faltando apenas uma rodada para acabar o Brasileiro,  já conquistamos a vaga direta para a Libertadores 2019. Com o resultado de ontem, o Inter chegou aos 68 pontos, ficando definitivamente com a terceira posição na tabela de classificação.

A última partida será no dia 2 de dezembro, às 17h, domingo, diante do Paraná, fora de casa. É quase um jogo amistoso, no qual poderíamos ver Sarrafiore, Richard e outros jogadores secretos, né, Odair?

Bom dia, Odair (com os lances da queda livre — Inter 1 x 2 Atlético-MG)

Bom dia, Odair (com os lances da queda livre — Inter 1 x 2 Atlético-MG)

Odair, acredito que tu és o responsável por nossa vaga para a Libertadores 2019. E também por nossa decadência atual. Na tua entrevista, justificaste a manutenção de alguns jogadores no time porque “estes jogadores são também responsáveis pela posição do Inter na tabela”. Que bobagem! Futebol é momento, é um esporte coletivo onde o mau rendimento individual repercute nas ações dos outros. Ou seja, as fracas atuações de gente como Fabiano, Iago, Patrick, etc. estão afundando teu bom trabalho e o Inter neste final de Brasileiro.

Lambança no final do Brasileiro | Foto: Ricardo Duarte

De resto, nem adianta reescrever coisas. O Inter permanece lento e previsível, chato mesmo, como já cansei de escrever. E perdeu o jogo merecidamente para o Atlético-MG, apesar dos incríveis gols perdidos por Damião.

Ontem, já poderíamos ter sido ultrapassados pelo Grêmio, que jogou meio Brasileiro com reservas. Veja bem, preste bem atenção à superioridade deles, Odair.

O próximo jogo também será no Beira-Rio. Será domingo, dia 25 de novembro, às 19h, diante do Fluminense. Com nosso péssimo futebol atual, é jogo perigosíssimo, ainda mais que o Grêmio pega o fraco Vitória. Será que eles e o São Paulo vão nos tirar do G-4?

Estamos em 3º lugar com 36 jogos e 65 pontos. O Flamengo, em segundo lugar, já tem 69 e é melhor esquecer. O Grêmio está com 62 em quarto e o São Paulo também tem 62, mas faz seu 36º jogo hoje contra o Vasco. Pode encostar em nós. Vamos cair para o 5º lugar com teus Patrick, Iago e turma?

Bom dia, Odair (com os lances do fiasco de Botafogo 1 x 0 Inter)

Bom dia, Odair (com os lances do fiasco de Botafogo 1 x 0 Inter)

Um time que erra passes e que decide esperar o adversário fatalmente ficará preso em seu campo, sem jogar. Este foi o primeiro tempo do jogo de ontem contra o Botafogo no Engenhão (Rio de Janeiro). Para piorar, nossos poucos ataques não terminavam em chutes a gol. Tem sido assim fora de casa, Odair. Tua estratégia para estes jogos é um repetido fracasso. Olha a estatística que o Alexandre Perin publicou em seu perfil do Facebook:

Desempenho do Inter como visitante no segundo turno:

– Vitória contra o Bahia, bom desempenho
– Empate contra o Cruzeiro, bom desempenho
– Derrota contra a Chape, mau desempenho
– Empate contra o Corinthians, mau desempenho
– Derrota para o Sport, péssimo desempenho
– Empate contra o Vasco, mau desempenho
– Empate contra o Ceará, mau desempenho
– Derrota para o Botafogo, péssimo desempenho

3 derrotas, 4 empates, 1 vitória. 7 pontos em 24 possíveis.

É isso.

Junto com Zeca, Patrick foi o pior em campo no jogo de ontem | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Para piorar, é incompreensível a insistência com Patrick e Iago, sem falar no “Caso” da lateral direita, entregue a dois incompetentes, Fabiano e Zeca. A decadência da equipe tem seu lado ruim e bom. O ruim disso tudo é que podemos ficar fora do G-4 e atrás do Grêmio, o que deixaria os gremistas tirando sarro da gente por todo o período de férias. O lado bom é que sabemos previamente que não temos time para a Libertadores. Sempre achei que não tínhamos reposições, agora acho que não temos titulares. Dale, que fará 38 anos em maio, tem que ser a cereja do bolo, jamais o cara fundamental. Na verdade, no Campeonato Brasileiro, nossa boa posição na tabela advém dos jogos em casa, da pressão, de nossa torcida.

Junto com Patrick, Zeca foi o pior em campo no jogo de ontem | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Nossa luta e minhas orações de ateu são para conseguir a vaga direta. A questão é como segurar nossa queda livre. Os jogos contra Atlético-MG e Fluminense no Beira-Rio, na próxima quarta e domingo, serão fundamentais. É claro que não sou pela tua saída, Odair, só que há alterar totalmente a postura fora de casa. O time entra desmobilizado, previsível, aceitando a marcação, tímido e passivo. Ou seja, desse jeito, vamos perder todas fora de casa na Libertadores 2019.

Se fosse a atuação de Lomba, teríamos tomado uma goleada história ontem no Rio | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Lomba te salvou de uma goleada, Odair. Por três vezes ele ficou no mano a mano com atacantes do Fogão e conseguiu desarmá-los. Acho que tu já agradeceste a ele. Não? Pois faça-o já.

Bem, esqueça o título e tente ganhar as duas próximas em casa, Odair. Estamos em terceiro com Grêmio e São Paulo chagando. Temos 65 pontos, eles 62. O Grêmio tem mais saldo, é só encostar que passa. E a diretoria que trate de pensar em futebol e não somente na reeleição. É só pensar um pouco. Futebol é momento e a eleição pode ser decidida dentro de campo e não nas entrevistas de Roberto Mello, fazendo apologia da “continuidade”.

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 2 x 0 América-MG)

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 2 x 0 América-MG)

Ontem à noite, tivemos um jogo um pouco mais tranquilo do que o normal. É incrível como o Inter tem dificuldades para marcar gols. Não obstante, Damião foi o grande destaque da partida. Fez o primeiro gol em passe milimétrico de Edenílson e devolveu a gentileza ainda no primeiro tempo. O jogo virou 2 x 0.

Damião prepara-se para arrematar e marcar seu 108º gol pelo Inter | Foto: Ricardo Duarte (SC Internacional)

Damião, ao marcar (foto acima), chegou a seu 108º gol com a camisa do Inter. Assim, entrou na lista dos 10 maiores artilheiros do clube. Está empatado com Adãozinho, jogador histórico do Rolo Compressor, que defendeu o clube entre 1943 e 1951.

Os maiores goleadores da história do Inter:

  • 1º – Carlitos – 485 gols
  • 2º – Bodinho – 235
  • 3º – Claudiomiro – 210
  • 4º – Valdomiro – 191
  • 5º – Tesourinha – 178
  • 6º – Larry – 176
  • 7º – Villalba – 153
  • 8º – Ivo Diogo – 118
  • 9º – Jair – 117
  • 10º – Adãozinho – 108
  • 10º – Leandro Damião – 108

No segundo tempo, tivemos mil oportunidades para contra-atacar o desesperado time do América-MG — que está indo para a Segunda Divisão –, só que tudo foi desperdiçado. Tomamos até sufoco por pura inabilidade de manter a posse de bola. Sinceramente, não consegui ver grande superioridade nossa, mesmo jogando em casa contra o 19º colocado do Brasileiro.

Há um longo caminho a percorrer até chegarmos a ter um bom time. Os laterais Fabiano e Iago, por exemplo, têm sido ridículos e são titulares absolutos. Uma tragédia.

A próxima partida é contra o bom Botafogo, domingo, às 17h, no Engenhão. Voltaremos a jogar em casa na 36ª rodada, quando enfrentaremos o Atlético-MG, dia 21 de novembro, no Beira-Rio.

Estamos a 5 cinco pontos do Palmeiras. Na minha opinião, está é uma diferença definitiva, tendo visto os últimos 4 jogos do Verdão: Paraná (F), América-MG (C), Vasco (F) e Vitória (C). Ou seja, pegam 3 rebaixados e o Vasco. Nossa tabela é bem mais complicada: Botafogo (F), Atlético-MG (C), Fluminense (C) e Paraná (F). Já era, né?

Bom dia, Odair (com os principais momentos de Ceará 1 x 1 Inter)

Bom dia, Odair (com os principais momentos de Ceará 1 x 1 Inter)
Tu tá no lugar errado, meu! (Mas, tu, Odair, estás no lugar certo) | Foto: Ricardo Duarte

O Inter não chegou a jogar mal. Iniciou muito bem a partida e foi caindo. O fato foi absolutamente paradoxal, pois o Ceará não parecia ser um time muito bem preparado fisicamente. Eles tinham uns gordinhos em campo… Mas há que considerar o jogo era fora de casa e o estádio estava lotado. Além do mais, o gol do Ceará saiu de um raro erro individual do nosso melhor zagueiro, que tem muito crédito.

O problema maior é que nos faltam jogadores decisivos. Pottker é um gordo ruim. Nico deixou de lado sua característica de chutar insistentemente a gol — o que o tornou quase comum. Não temos gente que faça a diferença na hora que o time precisa. Ontem, tivemos 2 ou 3 contra-ataques no 1º tempo, a velocidade era fulminante, mas faltou qualidade no último passe. Este era sempre nervoso e errado. Isso poderá ser péssimo no ano que vem, durante a Libertadores. Marcar gol, para o Inter, é uma gravidez e um parto natural. Reitero que precisaremos nos qualificar para a disputa da Libertadores.

Temos um grupo que joga no limite da sua técnica. Isso é mérito teu. A coisa anda, apesar de tudo. Mas Patrick sumiu. Fabiano é ruim demais. O que aconteceu com o futebol de Zeca? Mas, como disse, precisaríamos de dois ou três ótimos jogadores para elevar nosso nível. E nossa base parece estrangulada pelos falsos medalhões.

Richard, Zé Aldo, Nonato e Sarrafiore devem estar babando por uma oportunidade de aparecer. Mas o Inter não é o Santos nem o Flamengo. Aqui, o cara de 18 anos vai para musculação pegar corpo e com 21 afunda na caixa de areia para ser vendido para Portugal aos 24.

Wellington Silva vem entrando bem.

Paolo Guerrero deve estar liberado em meio à Lib 2019.

Sobre o jogo de ontem: pelo objetivo da Libertadores foi um ponto somado. Este é nosso título de 2018. O Inter não ganha como visitante há quase três meses, não podemos esquecer. A atual gestão não ganhou nada, mas aos poucos está nos devolvendo um pouco da dignidade perdida em 2016. Um vice-campeonato já estará de bom tamanho. É quase um milagre, Odair.

Torcer é uma coisa, ver a realidade é outra. Teu trabalho é excelente, mas falta qualidade e isso não é culpa tua. Apenas acho que os jovens precisam ser testados. E logo.

.oOo.

Com o resultado, seguimos na vice-liderança da competição, agora com 62 pontos. O Palmeiras é líder com 67, mas é bom abrir o olho com o Grêmio, que está com sorte — o que foi aquele frango do Martín Silva? — e já tem 58 pontos. Nossa próxima partida é contra o América-MG nesta quinta-feira, às 21h, no Beira-Rio.

Bom dia, Odair (com os lances de Inter 2 x 1 Atlético-PR)

Bom dia, Odair (com os lances de Inter 2 x 1 Atlético-PR)
Um dia o Inter ainda me mata | Foto: Ricardo Duarte

Em primeiro lugar, Odair, por que não escalar Charles no lugar de Dourado em vez do fraquíssimo Gabriel Dias, que ainda cansa como se fosse um Paulo Miranda?

Para piorar, nos últimos jogos, o Inter tem entrado em campo burocrático como Bartleby e, tal como ele, bem, vá ler livros, meu filho.

Na etapa inicial, o Inter trocou exatos 252 passes. Acertou mais de 95% deles. E não criou nenhuma chance de gol. Foram todos passes bobos, laterais, sem riscos, fáceis. Deveria ter acertado 100% e estaríamos até agora jogando para os lados.

Então é bobagem assistir o primeiro tempo de nossos jogos. O Inter marca, tem posse de bola, mas não ataca. É um saco. Só ataca quando desesperado.

Naquele período, na primeira etapa, a torcida estava tão ligada no jogo que houve gente — até jornalistas — que viram OVNIs no céu. O curioso é que a pasmaceira em campo acontece num momento em que seria importante vencer para garantir o acesso direto à Libertadores 2019.

No segundo tempo, comprovando que Gabriel Dias veio a campo para fazer coisa nenhuma, o Atlético-PR marcou. Camacho veio lá do meio do campo até nossa intermediária sem receber combate. Enquanto isso, Dias observava, só cercando. Então, já que tinha espaço, Camacho chutou. A bola bateu em Moledo, desviou e GOL deles. Era 18 min do segundo tempo. Logo depois, aconteceu a mesma coisa novamente, só que passou raspando. Bonito, né, seu Odair? Então, tu tiraste Dias para enfiar mais um atacante. Fizeste bem.

E começamos uma boa reação. Estranhamente, também tiraste Damião para colocar Wellington Silva. Só que o time seguia cruzando bolas para Damião. E chegamos à virada jogando mal e porcamente. Moledo empatou aos 36 min e depois, nos descontos, o juizão deu uma mão. Dale bateu bem um pênalti mais do que duvidoso. Isto é, se o primeiro gol foi legal, o segundo…

O Palmeiras lidera com 66 pts. Estamos em segundo lugar com 61. O primeiro time fora da vaga direta pela Libertadores é o Grêmio, com 55.  Acho que o segundo dado é o que nos interessa. Dificilmente chegaremos no Palmeiras, mas há que impedir cheguemos a um 5º lugar.

Bom dia, gremistas (com os melhores lances de Grêmio 1 x 2 River Plate)

Bom dia, gremistas (com os melhores lances de Grêmio 1 x 2 River Plate)

Guaraní-Par, Iquique, Zamora, Godoy Cruz, Botafogo, Barcelona de Guayaquil, Lanús, Monagas, Cerro Porteño, Defensor, Estudiantes, Atlético Tucumán…

Foi só pegar um time grande como o River para fazer os planetas se alinharem. Antes era muita sorte junta. Acabou.

Foi um River que passou em minha vida.

D`Alessandro em seus tempos de River | Foto: River Plate – Sitio Oficial

O Grêmio fez excelente partida em Buenos Aires, mas jamais deveria tê-la tentado repetir ipsis litteris em casa. Jogar fechadinho fora de casa é uma coisa, fazer o mesmo em casa é um equívoco — põe uma pulga atrás da orelha do adversário, que pensa: “Por que eles estão com medo?”. Renato errou e errou feio. Ele não cometeu um pênalti por azar como Bressan, ele entrou com a estratégia errada. Jogou com medo, recuado, como se o jogo fosse contra o Real Madrid de Abu Dhabi.

Apostavam, na arena lotada, num contra-ataque.

Mas teve enorme sorte ao fazer o primeiro gol na única chance que teve no primeiro tempo. Foi um escanteio mal cobrado por Alisson que acabou em gol do lateral direito Leonardo (Costa?), o time que jogava por um gol saía na frente e, ao final do primeiro tempo, vencia por 2 x 0 no placar agregado. Mas em campo só dava River. O Grêmio seguia com sua proverbial sorte.

No segundo tempo, o River pressionava sem resultados como fizera no Monumental de Nuñez, só que… Quem deixa a bola rondando sua área e desiste de jogar, quem faz cera a fu como fez Marcelo Grohe… Às vezes toma.

Lágrimas na chuva

E aconteceu. Aos 25 minutos eu tinha ido tomar banho porque era inútil ver aquela coisa e o Grêmio ia se classificar sem merecer… Paciência. Então, Paulo Miranda sentiu câimbras e entrou em seu lugar o sujeito mais azarado do mundo: Bressan. O River empatou num lance que lembrou os dois gols do Grêmio. Bola na área e gol. Nada de jogadas trabalhadas.

E veio a justiça, pois o River sempre demonstrara mais desejo de ganhar do que o tricolor. Mas foi uma tremenda injustiça com o cara mais azarado do mundo.

Scocco chutou, Bressan chegou à bala e saltou na sua frente. Impossível pular sem abrir os braços, é uma questão de equilíbrio. E a bola bateu na sua mão. A regra diz que, se o braço não está grudado no corpo e a bola bate nele ou na mão, deve ser marcada a falta. Então o pênalti aconteceu, só que a regra é muito injusta e acho que esta deveria voltar a examinar a questão da intenção.

A cobrança foi perfeita e o River venceu. Por ter dois gols marcados fora de casa, levou a vaga. Foi cruel, mas justo.

Quais são os últimos jogos de Palmeiras, Flamengo e Inter no Brasileiro

Quais são os últimos jogos de Palmeiras, Flamengo e Inter no Brasileiro

O Brasileiro tem mais sete rodadas. Apesar do favoritismo dos dois primeiros, Palmeiras, Flamengo e Inter estão na disputa pelo título. Não é só o título que está em disputa, mas também as vagas diretas na fase de grupos da Libertadores do próximo ano.

32ª rodada
Inter x Atlético-PR, Palmeiras x Santos, São Paulo x Flamengo

33ª rodada
Ceará x Inter, Atlético-MG x Palmeiras, Botafogo x Flamengo

34ª rodada
Inter x América-MG, Palmeiras x Fluminense, Flamengo x Santos

35ª rodada
Botafogo x Inter, Paraná x Palmeiras, Sport x Flamengo

36ª rodada
Inter x Atlético-MG, Palmeiras x América-MG, Flamengo x Grêmio

37ª rodada
Inter x Fluminense, Vasco x Palmeiras, Cruzeiro x Flamengo

38ª rodada
Paraná x Inter, Palmeiras x Vitória, Flamengo x Atlético-PR

Uma virada épica

Uma virada épica

Não pude escrever sobre futebol nos últimos dias. O motivo é simples: não vi os dois últimos jogos contra Santos e Vasco. Acho que verei a partida do próximo domingo contra o Atlético-PR. Devo, pois, fazer retornar a este blog sua programação normal.

Então, como faz tempo que não temos futebol por aqui e como Haddad não virou, deixo com vocês a mais fantástica virada de que tenho conhecimento, Arsenal 4 (7) x 4 (5) Reading.

O Arsenal, jogando fora de casa, saiu atrás no placar por 4 x 0.

Mas partiu para cima do Reading, descontou ainda no primeiro tempo — o primeiro tempo foi 4 x 1 — e empatou no segundo, 4 x 4.

Na prorrogação, o Arsenal fez 5 x 4, o Reading empatou mas o clube londrino fez mais dois e fechou o jogo em 7 x 5, eliminando o adversário da Copa da Liga Inglesa de 2012.

Assistam que coisa fantástica:

Hoje, Figueroa completa 72 anos

Hoje, Figueroa completa 72 anos

Quem não viu, não consegue imaginar o que jogava Elias Figueroa. Não consegue MESMO. Hoje, ele completa 72 anos. Nasceu em Valparaíso e é considerado o maior jogador chileno de todos os tempos.

Também foi eleito o melhor zagueiro da Copa de 1974. Detalhe: Beckenbauer estava presente e foi campeão daquela Copa.

Figueroa chegou ao Inter em novembro de 1971, vindo do Peñarol. Vestindo a camisa colorada, ele fez 26 gols em 336 jogos, sendo ao lado de Índio o zagueiro que mais fez gols pelo clube.

Foi hexacampeão gaúcho (71/72/73/74/75/76) e bicampeão brasileiro (1975/76). Disputou 17 clássicos Gre-Nal, tendo perdido apenas UM. Nunca foi expulso ao longo de sua carreira.

Figueroa, quando ainda atuava no Peñarol foi considerado duas vezes melhor jogador da América. No Inter, repetiu mais duas vezes o feito. Foi um dos maiores zagueiros de futebol da história. Era um monstro.

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 3 x 1 São Paulo)

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 3 x 1 São Paulo)
A comemoração do segundo gol do Inter e de Damião: tivemos sorte com a lesão de Potttker e a entrada de Damião | Foto: Ricardo Duarte

Em primeiro lugar, parabéns pela bela e merecida vitória. Corremos riscos, recuamos demais no final da partida, mas o saldo de nossa atuação foi altamente positivo.

Tomara que a lesão do Pottker seja grave, né, Odair? Tu escalas e escalas o cara, mesmo com a gente contra. Aí o cara sai machucado e o ataque funciona melhor… Quem tem razão, Papito?

E, na boa produção ofensiva, temos ainda que colocar o gol mal anulado de Nico López no primeiro tempo e aquela falta batida por D`Alessandro antes do 2 x 1. Aquela bola entrou, meus amados irmãos, prestem bem atenção.

Sim, cinco gols (três válidos) e finalmente uma atuação em alto nível. Sabemos que a tendência era de queda e conseguiste invertê-la.

Revendo os lances do jogo, chego à jogada do primeiro gol, que golaço! A ação de Nico López foi simplesmente perfeita, linda. Ele levantou a bola com enorme acerto para Damião. Três defensores tentaram cortar de cabeça e não conseguiram. O cruzamento-passe era mesmo para o D9.

Mas o destaque máximo foi a linda atuação de Dale. O cara é um monstro.

Após 29 rodadas, faltam 9 jogos para cada time. O Palmeiras tem 59 pontos e 27 gols de saldo. Nós temos 56 e 19 de saldo. Ou seja, só passando na frente deles, pois o saldo palmeirense é um absurdo de alto. O Flamengo cresceu muito e agora tem 55 pontos, com saldo de 22.

Nossas chances de sermos campeões são pequenas, mas acho que pegamos uma vaga direta para a Libertadores. Não podemos esquecer que, no início do campeonato, falávamos em apenas não cair para a Série B. Ou seja, nosso desempenho é excelente se comparado com o que esperávamos.

Lembram que nem chegamos à final do Gaúcho? Lembram que esperávamos tomar uma goleada no Gre-Nal do primeiro turno deste Brasileiro?

Pois é. E estamos tentando ser campeões. Temos que tentar, claro. É do DNA. Dá-lhe, Inter!

Nosso próximo jogo é contra o Santos, segunda-feira, dia 22, às 20h.

Um trecho de Karl Ove Knausgård

Um trecho de Karl Ove Knausgård

Há um trecho de “Um Outro Amor (Minha Luta 2)”, de Karl Ove Knausgård, que só é bem entendido pelos amantes de futebol. O autor estava jogando uma pelada quando caiu violentamente sobre o próprio ombro.

Como as dores eram lancinantes, seus colegas levaram-no a um hospital. Ele ficou aguardando por uma hora numa sala de espera — sim, em Estocolmo, Suécia — sentindo dores horríveis e sem conseguir uma posição confortável. Um inferno.

Chega então a médica e diz que provavelmente ele quebrara a clavícula, mas que ela teria que examiná-lo melhor. Sai da sala e retorna com uma tesoura na mão.

— O que a Sra. vai fazer?

— Vou cortar sua camiseta porque com essas dores que Sr. sente não é adequado mexer os braços.

— Cortar a minha camiseta da Seleção da Argentina?

Bom dia, Odair (com os gols de Inter 2 x 1 Vitória)

Bom dia, Odair (com os gols de Inter 2 x 1 Vitória)

Deliciosa entrevista de Dale após o jogo:

— Vc era o mais velho hoje em campo.
— Não, acho que o juiz era mais velho.
— Ele tem 33 e vc 37.
— Porra, vcs querem me matar! Mas os treinadores eram mais velhos. O Carpeggiani e o Papito (Odair) têm mais que 37!

Ele falou também sobre a nova fase de sua vida. Como encara a reserva.

— Olha, fico no banco sem poder falar com o juiz, é difícil! Tava com saudade. Hoje falei bastante.

Dale foi perfeito na sua entrevista. Disse que o que se fala dentro de campo morre dentro de campo senão os torcedores se matariam.

Ah, sobre a partida, Odair: na última segunda-feira, Pai Milton da Bambô já tinha dito:

Não sou apocalíptico, sei que ainda estamos bem, mas acho que temos que melhorar. As últimas atuações não apontam para um futuro brilhante. São muitos passes errados, jogo atabalhoado e uma notável dificuldade na criação de jogadas de ataque. Teremos muito trabalho nos jogos no Beira-Rio contra os pequenos times retrancados. Aí vem o Vitória, Odair!

Agora, imaginem a dificuldade do Inter após fazer um ridículo gol contra aos dois minutos de jogo?

Quem, neste momento, não lembrou do pênalti mal batido contra a Chapecoense? Poderíamos ser líderes isolados, Odair… | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Foi um parto ganhar do Vitória, ainda mais com um árbitro fraco que anulou um gol legal e depois inventou um pênalti que nos salvou. Eu achei que “os boi já tinham ido embora com a corda toda” e que não viriam os três pontos. No início do segundo tempo, com o Vitória ainda na frente, já estava puto com todo mundo. Depois empatamos — linda cabeçada de Damião! –, mas voltei a me enfurecer com a anulação do gol de Nico López, uma pintura. Mas a sorte tem-nos sorrido mais do que merece nosso rostinho comum e desajeitado. Aquele pênalti… Nem vou falar nele.

Odair, acertaste ao preencher a ausência de Patrick por um D`Alessandro esforçado e um pouco fora de embocadura, mas que permaneceu em campo para bater o pênalti da virada. Acho que, como Edenílson receber o terceiro cartão amarelo, nosso jovem de 37 anos merece mais uma chance contra o Sport fora de casa, não?

Depois quando todos estiverem aptos, Dale poderia entrar no lugar de Pottker, né Odair? Pottker não está jogando nada assim como Zeca não jogava. Zeca saiu e olha que bela partida fez Fabiano na lateral direita! Quem não produz merece banco, não achas?

Agora temos 53 pontos em 27 jogos. Somos líderes ao lado do Palmeiras, que nos vence no saldo por 23 a 18. Logo atrás vêm São Paulo (52), Grêmio (50) e Flamengo (49).

Nosso próximo jogo é contra o Sport, sexta-feira, às 19h, fora de casa, sem Cuesta e Edenílson, ambos suspensos por um jogo. No dia seguinte, em São Paulo, no Morumbi, jogam São Paulo e Palmeiras, o que torna importantíssima nossa partida em Recife.

Bom dia, Odair (com os principais lances de Corinthians 1 x 1 Inter)

Bom dia, Odair (com os principais lances de Corinthians 1 x 1 Inter)

Vamos começar pela matemática. Jogamos 12 jogos em casa (faltam 7) e 14 fora (faltam 5). Se tivéssemos ganho TODAS as partidas em casa, faríamos 36 pontos. E se tivéssemos empatado TODAS as fora de casa, faríamos mais 14. Total: 50 pontos. Quantos pontos temos hoje? 50 (terceiro lugar no campeonato, o líder São Paulo tem 51).

Ou seja, uma campanha de quem vence em casa e em empata fora não é uma campanha de campeão, porém é excelente e nos levará certamente a Libertadores, se a mantivermos.

Bem, não fazemos um Brasileirão triunfante, mas estamos muito bem. O que me preocupa é a queda de rendimento de alguns atletas.

Zeca está num buraco, ataca mal e defende pessimamente. É uma substituição certa. Fabiano sempre entra melhor. É bom pensar nisso, Odair. Iago errou todos os cruzamentos ontem.

Ambos são laterais e bons laterais são importantíssimos para levar a bola ao ataque, principalmente quando não há bons armadores.

Também Patrick piorou muito e, como já disse, o setor de armação só funciona com o velho Dale, que só entra nos finais dos jogos a fim de ser marcado furiosamente pelos adversários. Por que não entra mais cedo, Odair?

E Pottker? Não arma, não marca gols, não marca laterais, o que faz?

Não sou apocalíptico, sei que ainda estamos bem, mas acho que temos que melhorar. As últimas atuações não apontam para um futuro brilhante. São muitos passes errados, jogo atabalhoado e uma notável dificuldade na criação de jogadas de ataque. Teremos muito trabalho nos jogos no Beira-Rio contra os pequenos times retrancados. Aí vem o Vitória, Odair!

Damião mostrou toda a sua inabilidade ontem, mas guardou o seu | Foto: Ricardo Duarte

O Brasileiro tem 5 postulantes ao título. Os 5 primeiros terão mais de um confronto direto, mas o Inter enfrentará apenas o São Paulo no Beira-Rio. O São Paulo vai enfrentar os 4 concorrentes diretos, o Palmeiras 3, o Grêmio 3 e o Flamengo 3. Eles vão trocar pontos, a menos que o Palmeiras — melhor time do campeonato — ganhei de todos, o que acho improvável. Com 74 pontos o Inter poderá ser campeão, mas tem que ganhar as 7 em casa e uma fora. Domingo, contra a touca Vitória, é jogo para vencer.

Vejam o levantamento a seguir com os jogos que virão:

São Paulo: 51 Pontos

Botafogo (F)
Palmeiras (C)
INTER (F)
CAP (C)
Vitória (F)
Flamengo (C)
Corinthians (F)
Grêmio (C)
Cruzeiro (C)
Vasco (F)
Sport (C)
Chape (F)

Palmeiras: 50 pontos

Cruzeiro (C)
São Paulo (F)
Grêmio (C)
Ceará (C)
Flamengo (F)
Santos (C)
CAM (F)
Fluminense (C)
Paraná (F)
América (C)
Vasco (F)
Vitória (C)

Inter: 50 pontos

Vitória (C)
Sport (F)
SP (C)
Santos (C)
Vasco (F)
CAP (C)
Ceará (F)
América (C)
Botafogo (F)
CAM (C)
Fluminense (C)
Paraná (F)

Flamengo: 48 pontos

Bahia (F)
Corinthians (F)
Fluminense (C)
Paraná (F)
Palmeiras (C)
SP (F)
Botafogo (F)
Santos (C)
Sport (F)
Grêmio (C)
Cruzeiro (F)
CAP (C)

Grêmio: 47 pontos

Fluminense (F)
Bahia (C)
Palmeiras (F)
América (F)
Sport (C)
CAM (F)
Vasco (C)
SP (F)
Chape (C)
Flamengo (F)
Vitória (F)
Corinthians (C)

O jogo contra o Vitória é no próximo domingo, no Beira-Rio, às 16h.

Bom dia, Odair (com os equívocos de Chapecoense 2 x 1 Inter)

Bom dia, Odair (com os equívocos de Chapecoense 2 x 1 Inter)

Prezado Odair, foram muitos erros para um jogo só. Muitos. Mas o que nos matou ontem foi o erro final — o do pênalti batido por quem não treina cobranças. O Inter não aprende. Já caímos fora de uma Libertadores, com Dátolo, por esse negócio de alguém decidir que vai bater o pênalti e fim, bate mesmo e erra. Já caímos para a segunda divisão pelo mesmo motivo (Paulão e Valdívia). Já perdemos pênalti porque o filho do Christian estava de aniversário e ele queria “dar-lhe um presente”. O presente nunca chegou. E hoje Damião decidiu bater quando quem treina cobranças são Dale e Camilo.

Falta uma coisa simples no Inter: profissionalismo. Talvez falte comando da tua parte, meu amigo. E também respeito ao clube por parte dos jogadores.

Jogamos muito mal. É impossível vencer quando apenas dois atletas atuam bem (Nico López e Edenílson) e depois entram mais dois jogando decentemente (D`Alessandro e Damião), sendo que Dale entrou no lugar de Nico, lesionado.

Jonatan Álvez é realmente uma piada. Qualquer outra alternativa é melhor do que esta ferida uruguaia.  Mantê-lo no time é jogar com um cara sem as mínimas condições técnicas, que não domina uma bola, que não ganha disputas com os marcadores e que erra passes. Jogar com ele é saber que haverá uma substituição. É planejar mal.

Jonatan Álvez: melhor emprestá-lo para o Grêmio | Foto: Ricardo Duarte

Rodrigo Dourado fez uma falta tremenda e Patrick andou desaparecido do jogo. Seu futebol está claramente encolhendo. Iago esteve em campo?

Desta forma, perdemos por 2 x 1, com direito a pênalti batido ridiculamente nos descontos do segundo tempo e com incríveis gols perdidos.

Permanecemos com 49 pontos após 25 rodadas. No próximo domingo, às 16h, teremos o confronto contra o Corinthians, em São Paulo. Faltam 13 jogos, dos quais sete (21 pontos) serão no Beira-Rio. Ainda dá pra ser campeão, mas eu não acredito neste time.

Espero que a atuação de ontem à noite seja esquecida, pois se passarmos a repetir o que fizemos ontem, nem Libertadores.

Djokovic e o Inter

Djokovic e o Inter

Como vocês sabem, o futebol e o tênis são esportes onde a tática é FUNDAMENTAL. Djokovic, por exemplo, tomou pau num monte de jogos em Cincinnati e o US Open e ganhou ambos os torneios. Acontece que ele conseguia quase sempre e a duras penas manter seu saque e vencer os pontos decisivos. E seguia aos trancos, em jogos longuíssimos contra adversários que jogavam mais e que perdiam. O Inter anda assim. Tem uma defesa sensacional, mesmo quando erra passes e mais passes quando está com a bola. E é um time que nunca, mas nunca mesmo, ENCANTA. Apenas GANHA. Isto, nossa tática, nosso jeito de bem explorar o que temos de bom, tem deixado muita gente nervosa e de olhos esbugalhados aqui no sul. Até em entrevistas coletivas.

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 1 x 0 Grêmio)

Bom dia, Odair (com os melhores lances de Inter 1 x 0 Grêmio)

O domingo vinha bem calmo, bom e rotineiro, Odair, até a entrevista de Renato. Aquele retrato de dor, frustração e despeito me animou de tal modo que acho que bebi demais com a maravilhoso borscht que os filhos da Elena fizeram. Obrigado, Renato! Ao menos hoje, estou agradecido a ti. Tu deste a nossa vitória uma dimensão que ela não tinha — afinal de contas, era só mais um Gre-Nal vencido por nós. Agradecemos.

Pois é, doeu neles e eu nem sei bem por quê.

Antes do jogo, escrevi o que segue: “Se der a lógica, será 0 x 0. São as duas melhores defesas do campeonato. Deverá ser um jogo de poucos gols, com vitória nossa, espero”. E deu 1 x 0 pra nós. Acho que o Grêmio tem que ser MUITO melhor para ganhar um Gre-Nal no Beira-Rio. E atualmente não é.

Edenilson comemora o único gol do jogo | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

A entrevista do Renato após o jogo foi a pior e mais primária que ouvi dele como técnico. Cruzei com o gremistão Moysés Pinto Neto no super e ele disse que o técnico tinha ligado o “modo jogador”. Pode ser, e concordo com meu filho Bernardo Jardim Ribeiro que, chutando mais forte, disse quarta-feira que achava uma penitência para os gremistas terem Renato como ídolo.

O jogo foi o esperado. Tudo muito trancado, com os ataques produzindo pouco. Seguimos com um departamento de criação muito insatisfatório. Após o belo gol de Edenílson, a coisa ficou mais aberta e tivemos um bom jogo com grande pressão do Grêmio.

Dourado e Moledo e Cuesta e Lomba voltaram a jogar muito. Zeca voltou a decepcionar e Uendel entrou muito bem no lugar do suspenso Iago, tendo inclusive dado o passe para o gol de Edenilson. Sabemos, nosso time tem uma excelente defesa, mas sua armação e ataque funcionam apenas mais ou menos.

A estatística atualizada do Gre-Nal agora tem 417 jogos, com 156 vitórias do Inter, 131 empates e 130 derrotas. A disputa está no Gre-Pate, como veem.

O Inter segue em primeiro lugar com 49 pontos em 24 jogos, — 68% de aproveitamento. O São Paulo está grudadinho em nós, perde por um gol no saldo, 18 a 17. Acho que o Palmeiras (3º com 46 pontos) é o melhor time do campeonato e será o campeão com Inter e São Paulo na cola. Mas não custa tentar, né?

Os três líderes jogam fora de casa na próxima rodada: o Palmeiras pega o Bahia (domingo, às 16h), o São Paulo o Santos no mesmo dia e horário, e o Inter a Chapecoense na segunda-feira, às 20h.

.oOo.

De olho no título, o amigo Mahrcos Caniggia dá uma passada nas rodadas até o final:

Tava analisando as rodadas. Em 2016 comecei a analisar as últimas 13 pra não cair, hoje as últimas 14 pra ganhar.

Inter, São Paulo e Palmeiras são os 3 candidatos. Pra mim, eliminamos Flamengo e Grêmio na mesma semana. A partir de agora, cada um tem 7 jogos em casa e 7 fora.

Analisando os jogos fora, os do Inter são os mais acessíveis. Contei 6 vencíveis, contra 5 do São Paulo e 4 do Palmeiras.

Nota: o São Paulo ainda joga os três clássicos, o Palmeiras dois. Ambos jogam contra o Santos fora, São Paulo pega o Corinthians fora e o Choque-Rei entre eles é no Morumbi. No meio disso tudo, Palmeiras tem uma agenda absurda. Porém, não esquecer que os dois pegam o Grêmio em casa e obviamente LOUCO pra entregar, como sempre fazem.

A reta final de São Paulo e Palmeiras é ruim de secar, começa a ficar fácil. Então a ideia é mesmo abrir margem agora.

Se der pra ser campeão com 76 pontos, o Inter precisaria vencer 9/14. 7 em casa + 2 fora. Ou 6 em casa + 3 fora + 2 empates + 3 derrotas = 78.