Bom dia, Diego Aguirre (com os gols da vitória de ontem)

Bom dia, Diego Aguirre (com os gols da vitória de ontem)
Numa foto, os nomes do jogo: Anderson, Nilmar e Vitinho
Numa foto, os nomes do jogo: Anderson, Nilmar e Vitinho

Fui ao jogo na hora da missa até porque não vou à missa. Só que as pessoas estavam rezando muito na manhã de ontem. Fazia um ano da morte do Fernandão e a atmosfera era quase de religiosidade. Já eu estava noutra. Tinha bebido bastante na noite anterior, chegara tarde e sem o Batman em casa (vide post anterior), e sofria sob o sol de nosso verão junino, que me incomodou desde o T5 até a superior sul. Chegando ao Beira-Rio, achei melhor tomar uma água. Precisava me hidratar. Depois fui procurar o Farinatti na arquibancada. Até que foi fácil.

Batemos um bom papo e o jogo começou com nossos armadores, Valdívia e Vitinho, sem grande inspiração. Demos nossos primeiro bocejos — o professor Farinatti estivera igualmente na festa de câmara do dia anterior — e vimos que seríamos salvos pela combinação formada pela boa qualidade técnica de nosso time e pela ruindade dos curitibanos. Não deu outra. Logo Nilmar perdeu um gol feito em espetacular passe de Anderson e Vitinho fez um golaço. Para completar, a seguir Anderson — o melhor em campo — fez boa jogada com Vitinho e deixaram Lisandro na cara do gol. O argentino voltou a demonstrar como gosta do poste direito da goleira sul e Nilmar empurrou para as redes no rebote. Intervalo e fim de jogo.

Sim, pois o segundo tempo foi para deixar o tempo passar e receber cartões bestas. Anderson recebeu o seu terceiro e Lisandro acabou expulso… Não enfrentarão o Corinthians sábado. Não falo muito sobre arbitragem, mas como explicar a atuação do Sr. André Luiz de Freitas Castro? O Inter cometeu 4 faltas em toda a partida, foi um time gentil e delicado, só que o juiz deu-lhe 5 cartões — 4 amarelos e 1 vermelho. Destes cinco, três por reclamação. Acho melhor jogarmos de bico calado e todo cuidado com este “árbitro”. Ainda bem que D`Alessandro não estava em campo. Era mais um cartão certo.

Sobre o futebol, não estou convencido de que Nilmar e Lisandro devam jogar juntos na frente. Lisandro acaba voltando muito e não é um armador, é um finalizador. Acho que a dupla merece mais testes, antes de serem aprovados ou desaprovados. Valdívia agora está sendo marcado e sente o fato. É um problema. Mas o maior problema é o fato de Anderson não poder jogar. Com a saída de Dale por lesão, o marrento assumiu brilhantemente o protagonismo enquanto Alex afundou. Vá entender. Teremos Jorge Henrique e Nilton no Itaquerão, tenho certeza.