Argel Fucks pode rebaixar três times em 2016

Argel Fucks pode rebaixar três times em 2016

Cansado da primeira divisão? Acaricia projetos de cair? Chame Argélico Fucks que ele dá um jeito ligeirinho. Ele já deixou o Inter lá na rabada. Não apenas fez isso como largou o time destruído, um traste para os novos técnicos que chegaram depois. Após sua demissão no colorado, foi para o Figueirense, de onde nunca deveria ter saído e… Basta olhar a tabela. O Figueira é o primeiro após a linha dos rebaixados. Demitido também do clube catarinense, foi contratado pela diretoria do Vitória, que já está no Z-4. Trata-se de um caso de incompetência premiada. Ou de masoquismo dos clubes.

Na próxima quinta-feira, no Beira-Rio, ocorrerá um choque de brucutus e a certeza de que ninguém poderá dar um nó tático no outro, só em si mesmo. O jogo será Inter x Vitória ou, melhor dizendo, Celso Juarez Roth x Argélico Fucks. Um clássico dos infernos. Não haverá espaço para o pensamento. Queria ser o comentarista deste embate. Quem se atrapalhar mais, perde.

O estranho caso de Argel Fucks
O estranho caso de Argel Fucks

Bom dia, Argélico (com os melhores lances do horror de ontem à tarde)

Bom dia, Argélico (com os melhores lances do horror de ontem à tarde)
"Não sei por que ganho, nem por que perco".
“Não sei por que ganho, nem por que perco”.

O Inter, atual vice-líder do Brasileiro, obteve 1 um ponto dos últimos 9 que disputou. Ontem, fui ao Beira-Rio ver Inter 2 x 3 Botafogo, me deu vergonha, Argélico.

Na semana passada eu tinha escrito que o nível técnico do Brasileiro era tão baixo que nenhum resultado deveria surpreender. É óbvio que tudo isso começa nos técnicos desatualizados de nosso futebol. A derrota do Inter foi de inteira responsabilidade tua, Argélico Fucks. 100% tua e 100% previsível. Eu tirei um selfie no estádio antes do jogo — está no meu Face para comprovação — e escrevi: “Em busca da liderança com uma escalação podre…”.

Um time com Bob, Fabinho, Dourado e Anderson até suportaria uma nulidade como o Ferrareis na frente. Apesar do grupo fraco de jogadores, dá para fazer um time MUITO MELHOR. É ESCALAR e POSICIONAR corretamente os caras. Ontem, tínhamos que ter entrado com Bob, Fabinho, Dourado e Anderson. E Artur na LE, que é péssimo mas marca. Estou convicto de que a derrota de ontem passa 100% por ti, Argélico, que está deslumbrado com o G-4.

Não pensei que íamos perder para o fraco Botafogo, mas tinha certeza de uma péssima atuação.

O que viste em Géferson para colocá-lo no lugar de Artur? Exigências de empresários? Só pode ser.

O que vês neste coitado chamado Andrigo e no pobre Ferrareis? Andrigo é hoje um peso morto a Ferrareis é aquele tipo de jogador que os técnicos brasileiros amam: o atacante que sabe marcar e não faz mais nada. Com ele, ninguém sai jogando com facilidade. Porém, quando Ferrareis pega a bola, o zagueiro dá risada.

Já Alan Costa é um problema da direção que não contratou reposições para a montanha de zagueiros que foi vendida ou dispensada em 2016.

Por que a postura retrancada e cuidadosa — chamada por ti de pé no chão — foi abandonada para colocar Dourado e Fabinho como volantes-articuladores? Tomamos 7 gols em 3 jogos com a nova disposição. Éramos a melhor defesa do Temerão 2016. Dourado fora do lugar e Fernando Bob no banco enquanto nossa fraca zaga fica desprotegida? É de rir.

Mais: a Guaíba disse que o Inter fez 47 cruzamentos em todo o jogo, a maioria deles para os baixinhos Sasha e Andrigo. Para quê?

E o Botafogo, Argélico, é uma piada. Mesmo com as chances que lhes deste, poderíamos ter empatado ou até vencido… Os diretores reclamam da arbitragem… Ok, foi péssima, mas não foi por culpa dela que tomamos dois gols em 15 minutos do glorioso que irá novamente para a segunda divisão.

Muito triste o que fizeste. Difícil de acreditar que vais completar um ano como técnico do clube.

Anotem: Cruzeiro, Atlético-MG e Santos. Logo os três estarão na nossa frente. Era isso.

Bom dia, Argélico: um apelo à razão (com os melhores lances da alegre derrota)

Bom dia, Argélico: um apelo à razão (com os melhores lances da alegre derrota)
Argélico: também quero ser feliz, pô
Argélico: também quero ser feliz, pô

Têm razão aqueles que ficam desconfiados contigo, Argélico. Não há coerência em teu trabalho. Por exemplo, o primeiro tempo foi equilibrado, com constantes trocas de ataques e muitas finalizações lá e cá. A Guaíba disse que foram 18 no total, 9 para cada lado. Isso não é o teu Inter, Argélico! A estratégia com a qual alcançamos a liderança foi a de se fechar e jogar em contra-ataques. Por que mudamos? Por que esquecemos o tão falado e repetido pezinho no chão? Agora vamos amar e sonhar, quando nosso normal é ficarmos no quarto fechado, debaixo dos cobertores, tentando ouvir a hora em que o banheiro fica livre?

Apelo à tua razão: podemos apenas ser — num sonho — o Leicester deste campeonato. Temos que ser pragmáticos, defensivos e chatos, só explorando os contra-ataques fora de casa.

Saímos perdendo por 1 x 0 neste primeiro tempo franco em que poderíamos ter ganho ou empatado no joguinho aberto e feliz proposto por ti. Voltamos sem compostura defensiva no segundo tempo, mas empatamos aos 20 do segundo tempo com Vitinho. Éramos melhores, mas teu timinho bailarino tomou mais um gol num rebote ao 27. A partir daí, O Inter, acostumado a ter na defesa sua principal arma, descabelou-se e tomou mais um aos 34. E Vitinho descontou.

Isso que tu fizeste, Argélico, foi muito tolo. Ora, a receita de todos que ganharam o brasileiro por pontos corridos é a de trocar pontos com os grandes e ganhar dos pequenos. O correto seria manter o esquema e ganhar um contra-ataque, sem pensar que poderíamos nos tornar um Barcelona.

Todos os adversários na tabela, ou seja, o trio que nos no seguia no G-4, venceu. Prova de que eu tinha razão em olhar seriamente para a tabela apenas após a décima rodada, quando teremos 5 jogos em casa e 5 fora. E isto ocorrerá apenas depois do jogo contra o Coritiba, quinta-feira. Desta forma, há espaço para cair ainda mais.

Bob dá mais segurança do que Dourado à defesa? Não creio. É que Dourado avança mais porque tu o liberas, Argélico.

Pior, mantiveste Alex em vez de colocar logo Anderson em campo. Alex está em pré-aposentadoria, Argélico. Hoje, Anderson é vinte vezes melhor. Até três volantes, com o Dourado se soltando, seria melhor.

Mas o campeonato segue. Quinta-feira, temos o Coritiba em Curitiba. O Coxa tem apenas duas vitórias no Brasileiro e luta para ficar fora da turma do rebaixamento. Igualzinho ao Figueirense, que estava em idêntica situação. Como somos especialistas em reerguer mortos…

Espero que tu voltes ao pragmatismo e esqueça o futebol alegre e bailarino do Brasil-sil-sil. E te dou uma dica: Bob e Fabinho, Dourado e Anderson, Sasha e Vitinho.

Bom dia, Argélico (com o pezinho no chão e os melhores lances de ontem à noite)

Bom dia, Argélico (com o pezinho no chão e os melhores lances de ontem à noite)
Sacha: "Dá no meio que eu não vou estar ali!
Sasha: “Dá no meio que eu não vou estar ali!” | Foto: Ricardo Duarte

Só a vocês oito — Argélico e mais meus sete leitores — posso dizer que sou uma fraude. Não fui ao Beira-Rio ontem à noite. Assisti ao jogo no Pastel com Borda da Fernandes Vieira, o Magnífico Templo de Sandra Giehl, comandante gremista do local. No meio da peleja, olhei para fora e vi que chovia. Eu estava sem guarda-chuva e reclamei da vida no muro das lamentações do Facebook. As pessoas ficaram com peninha de mim, lá no Beira-Rio, fiel torcedor, no frio, sob a intempérie, sofrendo, longe de casa. Só que eu estava a três quadras de minha casa, a 800 m de minha cama, a dez minutos de Elena. E preocupado com uns míseros pingos gelados sobre minha crescente e inexorável careca. Calei-me sobre a verdade. Seria linchado. Não gostaria.

(Logo após o jogo, a citada Sandra Giehl mudou bruscamente de canal, passando para o interessantíssimo Off, que mostrava uns caras praticando surf. Eu compreendo a mágoa dela).

Jogamos muito bem, Argélico. Tivemos finalmente a tal saída rápida e um antes desconhecido repertório de jogadas de ataque. Senti-me torcedor de um time de futebol. Fiquei comovido com o gol de Vitinho. Uma linda jogada de Anderson, jogador JAMAIS CRITICADO NESTE ESPAÇO. Posso até ter exagerado sobre tua incompetência, Argélico, mas sempre achei que Anderson sairia da letargia. Ele tinha lampejos, apenas faltava energia elétrica para mantê-los acesos. A entrada do ex-gremista aqueceu a noite de Porto Alegre, ao menos dentro do Pastel com Borda. Entrou no lugar de Alex, também de boa atuação. Os dois trocaram beijinhos de comadre quando da substituição. Gostei.

Vitinho: artilheiro
Vitinho: artilheiro | Foto: Ricardo Duarte

E o gol do Sasha? Só eu e tu vimos. Somos bons observadores. Quando a bola caiu no pé do Vitinho, Sasha ergueu o braço direito apontando para o meio da área. Tipo quero o cruzamento ALI. Mas correu para o outro lado, recebendo-o livre, quase dentro do gol. Confiram o fato abaixo, naquilo que era antes chamado de vídeo-tape. O fato revela entrosamento. Gostei.

E Danilo Fernandes? Que baita goleiro!

O time seguiu marcando, mordendo e correndo muito. Só Ferrareis destoou, mas nem tanto assim. Esforçou-se muito. Parabéns, ao preparador físico João Goulart! Que grande profissional! Recomendações, abraços e beijos em D. Maria Teresa, meu amigo!

D. Maria Tereza, esposa de João Goulart
D. Maria Tereza, esposa de João Goulart

Depois de apresentarmos a bela esposa de João Goulart, voltemos à partida de ontem. Como disse meu grande amigo Luís Augusto Farinatti, ultra-titulado professor de História da UFSM, “O Argel faz discurso mandando ‘manter os pezinhos no chão’ e quem obedece é a zaga do Grêmio”. Hahahaha, pior.

Pés no Chão, Argélico, para manter-nos sonhando com aquilo que não acontece há 37 anos, como aprecia lembrar o Sr. Ladeira Livros, excelente nesta coisa de contar décadas sem vitórias. Não creio em título nem em Libertadores, mas jamais frequentaremos os fogos do inferno da Segunda Divisão.

Ok, Argélico, para manter o sonho, pés no chão. Então…

Temos 19 pontos, três pontos na frente do segundo colocado. E há um detalhe que baixa nosso orgulho (pezinho no chão, pezinho no chão!). Jogamos 8 partidas, 5 delas no Beira-Rio. Se estivermos na frente depois dos dois próximos jogos, ambos fora, aí sim seremos líderes. Com 10 jogos (1/4 do campeonato), metade das partidas fora e metade dentro, aí sim.

No mais, Argélico, sussurro apenas uma palavra em teu ouvido: Dale.

https://youtu.be/giaeYUrNvII

Argélico Fucks, um nome socialmente problemático?

Argélico Fucks, um nome socialmente problemático?

Meus caros sete leitores, a Wikipedia tem um verbete de artigos incomuns. Nele, há uma sessão chamada Weird Names (Nomes estranhos). Quem está lá? Ora, o atual treinador do meu time, o SC Internacional. Argélico Fucks. E, vejam bem, nem é pelo Argélico! A explicação para a inclusão do nome de Argel é a de que seu sobrenome seria socialmente problemático. Todo mundo sabe o que é “to fuck”, creio. Certa vez, um jornal estampou: “Fucks Off to Benfica”, gíria que significa “Cai fora pro Benfica”. Porém, fuck off pode ser também “tomar no cu” ou “ir à merda”. A Wikipedia diz:Argélico 01Argélico 02

No Eurosport:

Argel Fucks off to Benfica

Com a colaboração de um dos sete, Alberto Rosa.

Bom dia, Argélico (com os melhores lances da coisa de domingo)

Bom dia, Argélico (com os melhores lances da coisa de domingo)
Tô com um problemão desta tamanho"
Tô com um problemão desta tamanho”

Eu estava mais a fim de escrever sobre a corrupção em nosso Brasil-sil-sil, mas vou escrever, com um dia de atraso, minha tradicional — para mim e meus sete leitores — crônica esportiva de segunda-feira. Vi boa parte da parte da partida contra o Vitória e vou te inocentar, Argélico. O plano era perfeito até o Ernando cometer aquele imperdoável erro individual. Sabemos, eu e tu, que somos um time apenas mais ou menos. Um time assim não é tolerante à falhas, ainda mais quando resultam em gol do adversário num início da partida. Como sempre, entramos fechadinhos, prontos para segurar o Vitória e especular em contra-ataques. Porém, quando o Vitória marcou, todo o plano foi por água abaixo e times ruins não têm Plano B.

O Sasha poderia ter colocado tudo novamente no lugar quando o goleiro do Vitória errou em bola deixando-o livre com o gol aberto, de costas para o mesmo. Só que Sasha não se deu conta de sua liberdade e apressou-se tentando uma puxeta que foi para fora. Se ele tivesse mas calma para analisar a situação…

Culpa tua, Argélico, são os erros de passes. Um time erra 30 passes por jogo, em média. No primeiro tempo contra o Vitória, erramos 26. Há que treinar e treinar. Treinar a direção do passe e facilitar o recebimento do mesmo. Com jogadores parados e marcados, mais passes saem errados. E a prova de que não nos movimentamos para receber as bolas é a lentidão na saída de trás. Êta, coisa arrastada!

Esperamos pelos reforços. Anselmo está com o terceiro amarelo e não joga sábado contra o América-MG. Tu podias pedir para a CBF deixá-lo assim para sempre, não? Talvez Dourado volte, o que seria maravilhoso. Sasha também não joga e é outra maravilha porque ele não tem feito muito na posição de centroavante. Acho até que o Aylon poderá ser um acréscimo. Quem fará falta mesmo é Paulão, pois Réver e Alan Costa são lamentáveis.

Agora, é tentar vencer o América e ver os resultados paralelos. O importante é ficar próximo dos líderes até a chegada dos reforços e de Valdívia. Nossos dois próximos jogos são no Beira-Rio contra times mineiros: sábado (11) contra o já citado América e quinta-feira (16) contra o Atlético. A propósito, tens notícias de Nico López? Ele virá?

https://youtu.be/ZFz6FBFP1ds

Quando o Grêmio debutar em 2016, nossa criança terá 5 aninhos

Quando o Grêmio debutar em 2016, nossa criança terá 5 aninhos
A foto de Ricardo Duarte mostra o melhor do Inter -- Dourado e Vitinho. Já o resto...
A foto de Ricardo Duarte mostra o melhor do Inter: Dourado e Vitinho. Já o resto…

É uma pena que a longa agonia do Inter mascare sua absoluta ruindade neste péssimo ano. Se, nesta altura, estivéssemos sem chances de Libertadores no Brasileirão 2015, talvez a diretoria já trabalhasse planejando algo de mais consistente para o ano que vem. O jogo de ontem demonstrou como o se joga fora uma classificação. O Fluminense — com um time misto — pediu para ser derrotado. Viramos o primeiro tempo com vantagem de 1 x 0, jogamos todo o segundo contra 10 e… cedemos o empate. Demos um tal banho de bola no primeiro tempo, o jogo estava tão fácil que escolhemos relaxar no segundo.

2015 pode ser resumido assim: problemas com o preparo físico, com doping, contratação no meio do ano de um treinador inadequado, mais problemas físicos (agora com os velhos D`Alessandro, Alex, Juan, Réver e Anderson, que, aos 27, parece ter 40) e nada de títulos importantes. E assim vamos seguindo o Grêmio. Se eles completarão 15 anos sem eles e debutarão em 2016, nossa criança terá já 5 anos. Mas, incrivelmente, vamos para a última rodada ainda com chances, o que servirá para esconder o fracasso por mais uma semana..

A conclusão a que chego às vésperas da última rodada do campeonato não pode ser mais desalentadora para o futebol brasileiro. Dos 5 melhores classificados, 4 são péssimos, o que explica enorme a distância do Corinthians na primeira colocação. Os times atuais de Atlético-MG, Grêmio, São Paulo e Inter são piadas que deveriam estar na segunda metade da tabela se o Brasileiro tivesse um mínimo de qualidade. Mesmo sem grandes contratações, a base do Inter deveria garantir uma classificação, mas esta também não funciona direito e hoje toma goleadas do pessoal do uma e tá.

Reclamar de arbitragem? Dizer que o pênalti a favor do Flu foi mal marcado? Também acho, mas ora, colorados, deixem essas circunstanciazinhas de lado. Era um jogo fácil que se complicou por nossa incapacidade de manter uma mínima compostura em campo.

Nosso time resume-se aos chutes do emprestado e Vitinho e, olha, nem dá para ver corretamente o que mais serve com tanta desorganização em campo. Dourado e Alisson, certamente. O resto eu não sei.

https://youtu.be/3ajpkkUe3aI

Bom dia, presidente Píffero (com os gols de nosso fiasco de finados)

Bom dia, presidente Píffero (com os gols de nosso fiasco de finados)
Piferro: planeje 2016, presidente!
Piferro: planeje 2016, presidente!

Nas últimas partidas do Inter, principalmente nestas duas vitórias contra Flamengo e Goiás, tinha feito referências amargas à ruindade, à falta de sentido coletivo e à feiura do futebol do time de Argel. Então, a derrota de ontem para um dos últimos colocados no Brasileiro não chegou a me surpreender. Ontem, tive vontade de rir de nossa zaga, a qual mais parecia um bordel. Paulão e Réver deslocaram Ernando para a lateral, deixaram Juan do banco, e não deram chances a Eduardo, Moledo e Alan Costa. Não sei se os cinco reservas de Paulão e Réver teriam melhores resultados, afinal, ninguém joga bem em nossa desorganizada equipe, mas mantê-los como se fossem indiscutíveis é uma piada.

O mesmo vale para Alex. Após sua desejada renovação de contrato, Alex sucumbiu e hoje nada o justifica. Mas, sabe Piffero?, o que me preocupa é que nem adianta substituir e contratar tendo um comandante como Argel. Ele simplesmente mostra-se incapaz de dar-nos algum padrão e consistência. Ele é treinador com aspirações, declarações e posturas de time médio. Ele que vá fazer sucesso em Santa Catarina — com o devido respeito aos briosos times daquele estado, que tanto complicam nossa vida.

Por que o contrataste até o final de 2016? Bem, problema teu e de nosso setor financeiro. Ele era uma aposta e sabemos que a maioria das apostas são perdidas para a banca. Perdeste, perdemos. Todas aposta leva uma carga de otimismo. Não deu. Acho pura perda de tempo seguir com ele no ano que vem, melhor não insistir no erro. Nosso futebol está em fase de degradação e decomposição e não deveria estar assim, já que Argel está lá faz 19 jogos. Que ele leve o time se arrastando até o final de 2015 e seja feliz recebendo sem trabalhar — ou assumindo outro time — em 2016.

Chega. Sobre o novo treinador… Bem, procure! Mesmo sem a Libertadores, haverá muitas e importantes disputas em 2016.

https://youtu.be/tcdwSsd9y94

Bom dia, Argel Fucks (com os gols de São Paulo 2 x 0 Inter)

Bom dia, Argel Fucks (com os gols de São Paulo 2 x 0 Inter)
Time caseiro | SC Internacional
Time caseiro | SC Internacional

Argel, deves lembrar que há alguns dias eu dizia que o Inter ia oscilar entre boas e más atuações. Mas jamais imaginaria que perderíamos para o banguzinho do São Paulo tomando olé, entre outras humilhações. Foi demais, Argel. Notei a tua vergonha após a partida. Gostei daquilo. Naturalmente, não temos preparo físico e o final da partida foi um chocolate mesmo. Creio que tens razão: precisas fechar o time fora de casa e por duas razões. A primeira é óbvia, é que o nosso time fica órfão sem torcida. A segunda é que, sem a bola, temos que correr muito mais para marcar. Isso cansa.

Outro fato chocante foi a péssima — e inédita — má atuação de Rodrigo Dourado. Já Géferson e William não chegaram a surpreender. São laterais que não sabem fazer o básico da função: marcar. Meu caro Argel, se o cara não sabe desarmar e antecipar, tem que ser um monstro no apoio.

Nossos quatro próximos jogos – antes do iniciar o embate contra o Palmeiras pela Copa do Brasil — serão para perder muitos pontos, se seguirmos nessa irregularidade. O jogos são contra Palmeiras (C), Coritiba (F), Corinthians (C) e Figueirense (C). Depois, jogaremos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, novamente em casa, contra o Palmeiras. Bem, ainda bem que em casa a gente tem jogado melhor. Ah, Argel, se nós pudéssemos ganhar todos esses jogos em casa seria maravilhoso. Eu nem me importaria de levar olé em Curitiba. Pensando bem, foca tua atenção nos jogos em casa. Só precisaremos jogar bem fora lá no dia 30, no jogo de volta contra das quartas pela Copa do Brasil.

https://youtu.be/FRjcIKhdsHY

Bom dia, Argel Fucks (com os gols da façanha de ontem)

Bom dia, Argel Fucks (com os gols da façanha de ontem)
Pô, Paulão, para de fazer merda!
Pô, Paulão, para de fazer merda!

Argel, como disse um amigo numa lista de discussões: “4 do Grêmio, 5 da Chapecoense, 5 do Grêmio, 3 do Avaí, isso de 2014 pra cá. Acho que nem nos anos 90 isso acontecia”. Verdade, Gérson. A gente perdia quase sempre de pouco naqueles desgraçados anos.

Mas, olha, o jogo de ontem — Avaí 3 x 0 Inter — foi muito estranho. O time estava até direitinho, à exceção da defesa, que voltou a fracassar. Primeiro, dominávamos o jogo quando houve um pênalti óbvio sobre Sasha que, aliás, deveria ter empurrado de primeira a bola para dentro do gol. Afinal, estava na pequena área sem goleiro. Pra que complicar? Depois, nossa defesa começou a dar sinais que era Dia de Paulão. Jamais vou entender porque o zagueiro, que é o Rei do Chutão, resolveu proteger aquela bola para que Alisson viesse de Sombrio para agarrá-la. Quase que saiu o primeiro gol do Avaí. Quem conhece o Inter disse na hora: Argel, tira o Paulão que hoje ele vai entregar. Não deu outra. Ele, tendo Nilton e Géferson como coadjuvantes, perturbou toda a defesa.

No segundo tempo, quando torcia por um golzinho qualquer que nos desse uma vitória mínima, o juiz inventa de dar um pênalti contra nós, daqueles que ninguém dá no mundo. Uma sutil puxada de Paulão, é claro, no braço de um atacante havaiano, quando a bola já estava longe, fora de perigo. Nem os jogadores do Avaí entenderam o que o árbitro marcara. Foi uma alegre surpresa do conhecido piadista Jean Pierre Lima.

Daí pra frente, Argel, teu time se desmanchou. (E, como tinha escrito sexta-feira, lá em Itu ninguém poupou forças…) Tomamos dois gols em chutões pra frente, um deles desferido pelo goleiro do Avaí. Não foi um jogo que condenasse teu trabalho, mas acho que tu deves decidir se o teu sétimo zagueiro em qualidade deve permanecer jogando (revisando: Juan, Ernando, Alan Costa, Réver, Eduardo, Moledo). No banco, Juan devia estar dando gargalhadas.

Melhor tentar esquecer o jogo de ontem pondo a culpa no juiz e no preparo físico.