Bom dia, Odair (com os principais lances de Inter 2 x 1 Flamengo)

Bom dia, Odair (com os principais lances de Inter 2 x 1 Flamengo)

Que grande jogo foi Inter 2 x 1 Flamengo! Mas não dá para recuar contra eles, que têm um ataque poderoso. Esse negócio de ficar só contra-atacando não funciona quando o adversário é Flamengo, River, Palmeiras, etc.

Quando o jogo começava, novamente me veio aquela sensação estranha — afinal, havia um árbitro tranquilo que comandava e fazia tudo conforme o habitual. Não adianta, o Campeonato Gaúcho é uma VÁRZEA, com seus juízes burros, formatados e atrapalhados demais.

Fizemos um grande primeiro tempo. Disse que D`Alessandro deveria entrar somente durante o jogo, mas ele me fez engolir a opinião. Jogando sem preocupações com marcação — deixando a função para os mais jovens Nico e Patrick –, Dale fez muito boa partida. Na verdade, o esquema mudou. Dourado e Edenílson ficaram protegendo a zaga, enquanto Nico, Dale (pelo meio) e Patrick formaram uma linha mais à frente.

Foi num cruzamento perfeito dele que Guerrero fez nosso primeiro gol aos 5 min e, puxa, poderíamos ter ampliado o placar. Na verdade deveríamos, considerando a história do jogo. Perdemos gols com Dale e um incrível com Nico López após lançamento de Iago.

Para variar, Odair resolver iniciar o segundo tempo acadelado, no velho esquemão reativo. Claro que o Flamengo nos empurrou para trás, mas não tínhamos nenhum contra-ataque e parecíamos conformados com o 1 x 0.

E tomamos o gol de empate.

E então Odair acertou duplamente. Trocou o já cansado Dale por Sarrafiore e Patrick, de péssima partida, por Parede. E voltamos a pressionar até Sarrafiore marcar um golaço.

Se Moledo foi o melhor em campo, foi Sarrafiore quem decidiu o jogo | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Logo depois do gol, lembrei que Camilo jogou o Gre-Nal do Gaúcho com o Sarrafiore no banco. Ah, Odair.

Os destaques da partida foram a zaga do Inter. A dupla esteve sensacional, com Moledo jogando muito. Zeca foi bem. Dale, Guerrero, Sarrafiore, Nico e Parede também. Quem esteve mal? Só Patrick.

Com a vitória, somamos nossos primeiros três pontos no campeonato, subindo para a 12ª posição da tabela. Cabe destaque também para o grande público presente. Ao todo, mais de 40 mil pessoas tomaram as arquibancadas do Beira-Rio. Sábado, teremos uma baita pedreira: o Palmeiras, às 19h, em São Paulo.

E a vida segue.

No vídeo abaixo, os melhores lances começam aos 17 segundos.

Bom dia, Odair (com os lances do fiasco de Chapecó)

Bom dia, Odair (com os lances do fiasco de Chapecó)

O Inter entrou com os reservas, o que é um sinal aos próprios jogadores de que a partida em Chapecó era menos importante do que outra coisa que está sendo jogada. Mas há outro recado e este é dado ao adversário — escuta, você deve me vencer.

E mais: o time todo estava desgastado após o jogo contra o Alianza? Todo, todinho? Ora, não me façam rir.

Inútil: como sempre de cabeça baixa, Pottker enfrenta vários adversários até perder a bola. Foi só isso o que ele fez sábado | Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Ora, a partida contra o Alianza Lima não foi tão disputada assim, não houve grande desgaste, mas Odair e turma escolheram estrear no Brasileiro com os reservas e com derrota. Foi opção. Assim como foi opção escalar Pottker, nosso pior atleta mesmo entre reservas.

Claro que esses pontos farão falta e não serão recuperados. Na última Libertadores que disputamos, o papo foi o mesmo. Quando fomos eliminados, éramos 9º lugar no Brasileiro e a conversa foi a de que íamos nos recuperar. Não conseguimos, é óbvio, e ficamos fora da Libertadores seguinte. O ” diretor de futebol” Roberto Melo disse: “Brasileirão não se ganha em abril”. Em setembro, 15 pontos atrás do líder, ele vai dizer “A gente sabe que está difícil de buscar, mas temos que tentar”. E não vai dar.

Já sei que vão dizer que o planejamento é esse mesmo. Nos findi, reservas. No meio da semana, titulares. Que o time teve mais chances e brigou muito. Ai, que lindo.

Lindo mesmo é estrear num campeonato que não ganhamos há quarenta (40) anos com os reservas. E perder.

Os 3 pontos de hoje valiam o mesmo do próximo jogo contra o Flamengo. Aliás, Cruzeiro e Flamengo entraram em campo com os titulares. Não se preservaram, que coisa.

E pobre do Palmeiras, um time sem recursos… Jogou pela Libertadores quinta-feira no Peru e está jogando com os titulares no domingo pelo Brasileirão. São uns coitados, não possuem elenco para girar o time. Ou não têm planejamento…

Agora jogamos contra Flamengo, Palmeiras, Cruzeiro e River. Vamos com os reservas e Pottker?

Já que a diretoria e a comissão técnica deixaram evidente que não se interessam em ganhar o Brasileiro, a torcida também não deve em grande número ao Beira-Rio.

Por que o torcedor deveria ir a jogos de um campeonato que o clube não tem interesse em ganhar?

Já há colorados explicando a derrota dos reservas do Inter pela derrota dos titulares do Grêmio… Por que ligar fatos que não têm nada a ver? Não surpreende que Bolsonaro tenha ganho as eleições aqui. Muita gente burra, né?

O Grêmio todo mundo conhece. Vimos os dois Gre-Nais. Já o Inter… Quem é o Inter? É o planejamento do Inter, as opções do Inter, etc. As escolhas de nunca usar todo seu potencial. As confusões do Odair. Os empresários. O futebol reativo. A várzea.

O Flamengo, com os titulares, deu um baile nos titulares do Cruzeiro, o Bahia venceu o o Corinthians, Ceará e Athletico golearam, mas, segundo o Inter, esta rodada não vale nada.

Bem, abaixo, o sofrimento começa aos 8 segundos do vídeo: