Bom dia, Odair (com os principais momentos de Ceará 1 x 1 Inter)

Bom dia, Odair (com os principais momentos de Ceará 1 x 1 Inter)
Tu tá no lugar errado, meu! (Mas, tu, Odair, estás no lugar certo) | Foto: Ricardo Duarte

O Inter não chegou a jogar mal. Iniciou muito bem a partida e foi caindo. O fato foi absolutamente paradoxal, pois o Ceará não parecia ser um time muito bem preparado fisicamente. Eles tinham uns gordinhos em campo… Mas há que considerar o jogo era fora de casa e o estádio estava lotado. Além do mais, o gol do Ceará saiu de um raro erro individual do nosso melhor zagueiro, que tem muito crédito.

O problema maior é que nos faltam jogadores decisivos. Pottker é um gordo ruim. Nico deixou de lado sua característica de chutar insistentemente a gol — o que o tornou quase comum. Não temos gente que faça a diferença na hora que o time precisa. Ontem, tivemos 2 ou 3 contra-ataques no 1º tempo, a velocidade era fulminante, mas faltou qualidade no último passe. Este era sempre nervoso e errado. Isso poderá ser péssimo no ano que vem, durante a Libertadores. Marcar gol, para o Inter, é uma gravidez e um parto natural. Reitero que precisaremos nos qualificar para a disputa da Libertadores.

Temos um grupo que joga no limite da sua técnica. Isso é mérito teu. A coisa anda, apesar de tudo. Mas Patrick sumiu. Fabiano é ruim demais. O que aconteceu com o futebol de Zeca? Mas, como disse, precisaríamos de dois ou três ótimos jogadores para elevar nosso nível. E nossa base parece estrangulada pelos falsos medalhões.

Richard, Zé Aldo, Nonato e Sarrafiore devem estar babando por uma oportunidade de aparecer. Mas o Inter não é o Santos nem o Flamengo. Aqui, o cara de 18 anos vai para musculação pegar corpo e com 21 afunda na caixa de areia para ser vendido para Portugal aos 24.

Wellington Silva vem entrando bem.

Paolo Guerrero deve estar liberado em meio à Lib 2019.

Sobre o jogo de ontem: pelo objetivo da Libertadores foi um ponto somado. Este é nosso título de 2018. O Inter não ganha como visitante há quase três meses, não podemos esquecer. A atual gestão não ganhou nada, mas aos poucos está nos devolvendo um pouco da dignidade perdida em 2016. Um vice-campeonato já estará de bom tamanho. É quase um milagre, Odair.

Torcer é uma coisa, ver a realidade é outra. Teu trabalho é excelente, mas falta qualidade e isso não é culpa tua. Apenas acho que os jovens precisam ser testados. E logo.

.oOo.

Com o resultado, seguimos na vice-liderança da competição, agora com 62 pontos. O Palmeiras é líder com 67, mas é bom abrir o olho com o Grêmio, que está com sorte — o que foi aquele frango do Martín Silva? — e já tem 58 pontos. Nossa próxima partida é contra o América-MG nesta quinta-feira, às 21h, no Beira-Rio.

Bom dia, Odair (com os principais momentos de Inter 1 x 0 Ceará)

Bom dia, Odair (com os principais momentos de Inter 1 x 0 Ceará)

Com grandes dificuldades, o Inter acabou vencendo a boa retranca do Ceará no Beira-Rio. Estes garantem, após a 14ª rodada, um total de 26 pontos e o terceiro lugar isolado na tabela de classificação.

Foi complicado. No primeiro tempo, o Inter teve plena posse de bola, mas também foi plenamente improdutivo. Jogando no esquema 4-1-4-1, o colorado tem, na linha mais ofensiva de 4, dois volantes de origem atuando pelo meio — Edenílson e Patrick — e dois atacantes pelos lados — Nico López e Rossi. Os volantes deixam lenta a armação. Edenílson é um condutor de bola bastante comum e errático. Patrick é bem melhor, mas é homem de pisar na bola e pensar. Ou seja, escalado assim, somos um time muito lento, ineficiente para enfrentar retrancas.

Tivemos apenas uma chance de gol. Mas que chance! Num dos poucos contra-ataques que conseguimos, Rossi passou por dois dentro da área do Ceará e mandou a bola no travessão. Porém, no restante do tempo, só ficamos rondando.

Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional
Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Estava na cara que algo precisaria se alterado. Com D`Alessandro e Damião no banco, era claro como a coisa ia acontecer. Odair retiraria um dos volantes e substituiria outro da linha de quatro. Dale entrou no lugar de Rossi e Damião no de Edenílson. A coisa melhorou, mas o Ceará não estava para brincadeiras e começava a gostar no jogo, tanto que chutava em nosso gol, mesmo sem perigo.

O gol do Inter surgiu em bela jogada. Depois de boa trama pelo meio, D`Alessandro lançou Patrick na área. Este encostou de cabeça para Damião que, atuando como pivô, fazendo a parede, deu um passe sensacional, ajeitando para o chute de Nico López. No rebote, William Pottker mandou para o fundo das redes.

E foi só. Mas foi tudo o que precisávamos.

Continuamos sem entender o que faz Danilo Silva no time, enquanto Klaus permanece sentadinho no banco. Até Fabiano poderia jogar em seu lugar, penso. Também Iago fez péssima partida. Parece estar mais atento à Copa do Mundo que já acabou. Enquanto isso, Nico e Dourado — que não estará no jogo seguinte pelo terceiro cartão — seguem bem, assim como Pottker, que ressurgiu das cinzas em que se encontrava no período pré-Copa.

A próxima partida será na quinta-feira, às 20h, contra o América-MG, em Minas Gerais.

https://youtu.be/6C5Tgi1yKJE

Bom dia, Renato (com os lances de Ceará 0 x 1 Grêmio)

Bom dia, Renato (com os lances de Ceará 0 x 1 Grêmio)

Por Samuel Sganzerla

Renato, tu sabes que não sou caminhoneiro, mas estive parado semana passada. Todavia, as últimas três partidas do Grêmio merecem um comentário comum: foram três ocasiões em que o Grêmio precisou furar uma retranca. Felizmente, tal quarta passada, na Libertadores, conseguiu ontem, lá em Fortaleza.

Thonny Anderson comemora seu gol ao final da partida em Fortaleza | Foto: gremio.net
Thonny Anderson comemora seu gol ao final da partida em Fortaleza | Foto: gremio.net

É verdade que nossa vitória deste domingo saiu num contra-ataque já nos 15 minutos finais de jogo. Algo que eu tenho até dificuldades de me lembrar quando aconteceu pela última vez. Nosso Tricolor, em seus triunfos recentes, vence se impondo sobre o adversário ou na base do ABAFA.

Agora, Renato, eu me permito ser sincero contigo: o Grêmio dos últimos jogos tem ficado abaixo das exibições que nos fizeram criar tantas expectativas para esta temporada. Apesar de ainda manter o padrão tático e o controle do jogo, o time tem sido mais lento nos ataques e errado mais passes.

Claro, vamos dar um desconto: já faz dois meses que não conseguimos entrar com todos os titulares em campo. A ausência do Arthur é muito sentida no meio campo. Ontem, ao menos tivemos a volta do Everton. E que diferença com ele no ataque!

O Cebolinha foi simplesmente o homem do jogo. Infernizou a defesa adversária do início ao fim, metendo uma bola na trave na primeira oportunidade, com nem três minutos se partida. Ainda sofreu dois pênaltis, sonegados pelo senhor Wagner Reway (esse cidadão não ia tomar uma geladeira mais severa, depois da LAMBANÇA que fez em Vitória e Flamengo, na primeira rodada?).

De qualquer forma, a despeito da péssima arbitragem a que estamos acostumados, merece destaque o gol da partida. Não sei se foi precipitação do Jorginho ao mandar o time do Ceará para cima do Grêmio no fim do jogo, mas o Everton, que nada tem a ver com isso, fez uma jogada espetacular no contra-ataque.

Como um velocista, atravessou mais de meio campo, para servir a bola cabeça de Thonny Anderson, que tinha acabado de entrar (que estrela, hein, Renato?!), para marcar com o gol livre. O meu elogio maior, porém, vai pelo fato de que o defensor do Vozão tentou fazer falta no Everton no meio-campo, no início da jogada, que preferiu a jogada a tentar cavar um cartão. Garantiu nossa vitória assim.

Se o Cebolinha continuar com essa bola toda, vai acabar mais cobiçado do que frentista de posto com gasolina. Merece todo nosso reconhecimento, então. Por outro lado, o destaque negativo vai para André, que sabemos que tem muito mais potencial do que o futebol que tem mostrado. Te liga, guri!

Enfim, apesar de não ter sido uma grande atuação, o 1 a 0 protocolar garantiu os três pontos, que era o mais importante. Graças aos resultados paralelos, acabamos nos mantendo a apenas dois pontos da liderança – que, sabemos, poderia ser nossa. Mas não é hora de ficar chorando sobre leite derramado.

Depois de amanhã, quarta-feira, retornaremos ao gramado da Arena. Enfrentaremos o Fluminense, adversário direto pela ponta da tabela. Renato, sei que o calendário é complicado e que o time vem sofrendo com o desgaste (10 jogos e mais de 30 mil quilômetros a serem percorridos neste mês que antecede a parada da Copa do Mundo).

Renato, com foco total no Brasileirão agora, faremos cinco jogos em duas semanas, três deles em casa. É a oportunidade de buscarmos a liderança do campeonato – ou de ficarmos o mais próximo possível dela, pelo menos. Depois de podermos curtir a Copa do Mundo, torcendo por Geromel e companhia (não sei os outros, mas eu irei), esperamos retornar com o time completo e preparado para um segundo semestre, que, tomara, seja de muitas alegrias também.

https://youtu.be/Jt2Dpue5aRU

Bom dia, Guto Ferreira (com os principais lances de Inter 0 x 1 Ceará)

Bom dia, Guto Ferreira (com os principais lances de Inter 0 x 1 Ceará)

Guto, tu és mesmo treinador? De futebol? Pergunto porque, cada vez que temos uma semana livre para treinos, o time volta jogando menos. E tuas escalações? Camilo joga mais do que Sasha. Então joga o “tático” Sasha. Nico joga mais do que Roberson. Então joga o omisso Roberson. Nico também joga mais do Pottker. Então joga o incompreensível Pottker. Winck joga um pouco mais do que Alemão. Então joga o desconexo Alemão. Também não se pensa num substituto para Danilo Silva, que ontem dedicou-se exclusivamente à ligação direta e aos erros defensivos.

O atordoado Guto Ferreira | Foto: Ricardo Duarte
O atordoado e confuso Guto Ferreira | Foto: Ricardo Duarte

Quando tomamos o gol do Ceará, tu colocaste ligeirinho Camilo e Nico. Que ridículo, Guto, que mediocridade. Em sério desafio à lógica, entras com Sasha e Roberson na frente. Porém, quando a coisa vai, corres para quem joga um pouco mais. Se Sasha, Pottker, Alemão e Danilo Silva são jogadores importantes para o controle do vestiário, é melhor buscar jogadores que joguem mais como amiguinhos.

Não tens nenhum Barcelona (da Catalunha) na mão, mas não dás contribuição nenhuma para que possamos nos tornar ao menos um time médio de Série A para 2018.

Foi muito feio ontem. O Ceará tocou e tocou a bola contra um time que tinha o apoio de 40 mil pessoas, que é maior e que deveria se impor, mas que era impotente. É isso. Somos um pênis grande e mole. Veio um pequeno brincalhão do Ceará é nos comeu competentemente. Alguém pode dizer que as entradas de Camilo e Nico não resolveram o problema, mas eles só entram na podre e têm muito menos tempo do que os maravilhosos titulares do Guto. Os dois deram outra vida a time, mesmo com a permanência de Danilo Silva e Alemão atrás.

Guto, tu realmente não és um técnico para a Série A. Já estou no time dos que desejam te ver fora do clube.

Na boa, não vou mais ao estádio. Também abandonei o time quando o treinador era Argel. Via só na TV, tranquilo, com uma bebidinha ao lado. É muita coisa para quem tem 60 anos e disposição para viver. Melhor ler um livro ou conviver com as amigos. Quero ver ao menos algo bem pensado e lógico em campo.

22886085_1567567129975769_543177110677687212_n

Temos 61 pontos em 32 partidas. Faltando seis jogos, estamos a quatro pontos da classificação matemática e a nove do quinto colocado. Ainda é uma posição segura, mas o problema é estamos construindo pouco para 2018. O que se vê em campo é assustador. Tanto que a diretoria do Inter projetava pelar a coruja em outubro e já fracassou neste intento amplamente divulgado.

Os últimos jogos serão:

3/11 (sexta-feira, às 19h15) – Inter x CRB
6/11 (segunda-feira, às 20h) – Luverdense x Inter
11/11 (sábado, às 16h30) – Inter x Vila Nova
14/11 (terça-feira, às 20h30) – Oeste x Inter
18/11 (sábado) – Goiás x Inter
25/11 (sábado) – Inter x Guarani

https://youtu.be/WBVYBjD0pRY

Bom dia, Abel Braga

Bom dia, Abel Braga
Te mexe, Alan Patrick! Corre, Juan! Não me faz rir, Paulão!
Te mexe, Alan Patrick! Corre, Juan! Não me faz rir, Paulão!

Abel, sabes que eu não costumo fazer avaliações individuais — acho que o que interessa é o conjunto –, mas é impossível evitar dizer que um time que joga com Juan, Alan Patrick e Paulão não irá a lugar nenhum. Juan é uma lenda do futebol que hoje é vencida por qualquer Nikão. Foi facilmente batido no primeiro gol e ainda fez um pênalti — que seria o segundo contra nós — no segundo tempo. É tocar a bola na frente e passar. Não dá. Iniciar uma partida com Alan Patrick é iniciar com dez jogadores. Ele está passando por uma injustificada egotrip. Passa o pé por cima da bola, tenta coisinhas elegantes, interrompe as jogadas e apenas deixa mais lento o que não é rápido: a dupla D`Alessandro e Alex. Já Paulão serviria apenas como com uma espécie de reserva folclórico. Suas tentativas no ataque são cômicas — dou risadas com sua falta de jeito — e o que dizer do bote que ele tentou no segundo gol do Ceará? Como trata-se de um zagueiro rápido, ele deveria ter acompanhado o atacante na corrida, mas é de seu folclore fazer a tentativa errada. Deu no que deu.

O Ceará é um bom time. O líder da Segunda Divisão tem características interessantes: com a bola é um conjunto tipicamente nordestino, cheio de jogadores velozes; sem a bola, marca forte e até usa de certa dose de violência. O resultado de ontem (Inter 1 x 2 Ceará) complica muito. No jogo de volta, uma vitória do Inter por 1 x 0 dá Ceará pelos dois gols marcados fora. Então, não basta ganhar. Sinceramente, acho que ontem tu recebeste uma ligação de Jesus, Abel. Talvez seja melhor ser logo eliminado, mas será que aí tu vais treinar o time nas datas vagas? Pois o nosso time não está jogando nada, não tem nenhuma inteligência ali, é só correria inútil e passes errados.

Nem vamos falar do juiz, Abel, ele é ruim mesmo e conseguiu prejudicar a todos. Também, com o nome de Fábio Filipus…

Abel, o que sei é que tu não gostas de mudar nada, ainda mais quando se trata dos bruxos e o Juan é bruxo. Então, amigo, acho que estamos fodidos. E, para completar, ontem o Luigi disse que estava difícil segurar o Aránguiz. Aí, meu filho, vamos ter a mais triste das despedidas de nosso mais bisonho presidente.