Foram 8 anos no Sul21

Foram 8 anos no Sul21

A foto abaixo foi tirada na redação do Sul21 no dia 9 de março deste ano. No Facebook, até porque eu não disse nada, o pessoal pensou que era apenas mais uma sexta-feira feliz de uma turma meio festeira. Mas não, era minha saída do jornal. Por isso, estou bem no centro da foto. Era uma retirada voluntária e planejada, sem grandes traumas. É claro que paguei chopes pra galera, deixando todo mundo feliz, ora bolas, inclusive eu.

O dia da despedida na redação do Sul21
O dia da despedida na redação do Sul21 | Foto: Guilherme Santos, com o próprio, Luiza, Matheus, Annie, Luís Eduardo, Milton, Marco, Joana, Fernanda, Giovana e Ana.

Permaneci quase oito anos no Sul21. O jornal começou a publicar diariamente em maio de 2010 e fui efetivado em junho. Foi um período estável trabalhado entre pessoas honestas — a começar pela diretoria da empresa — e de bom nível. Aprendi muito e com muita gente.

Quando entrei, a sede do jornal era numa velha e charmosa casa da Rua Fernando Machado na encosta do morro perto do Alto da Bronze. A casa era pra lá de estranha, tinha uns cinco andares. Na verdade, cada um deles abrigava apenas uma sala ou banheiro. Eram escadas e mais escadas. Tenho lembranças muito boas de lá. Foi um período de enorme crescimento do jornal. Começou ainda na gestão da Núbia Silveira como editora e depois explodiu com o Daniel Cassol, certamente a mais criativa das pessoas com as quais trabalhei no Sul21. O Cassol dava um jeito de tornar interessante a mais chata das audiências públicas. Se houvesse mais gente como ele, as publicações de esquerda seriam bem mais confiáveis e lidas do que são.

Ainda no tempo do Cassol, mudamos para a atual sede da Gen. Câmara, muito mais funcional e próxima de bares, restaurantes e das sedes do governo e assembleia.

Não pretendo escrever aqui a história do jornal, apenas fazer um agradecimento geral, publicar as fotos que tenho e seguir a vida. Trabalhei como editor-assistente, repórter e me metia onde achava necessário dar uma ajuda. Em minha fase final, tornei-me editor do Guia21. Até hoje me pedem para criar um Guia do Ócio no meu blog, mas vai ser complicado. Não tenho muito tempo e teria que voltar aos cinemas.

Dia desses, numa manhã em que acordei cedo, fiquei olhando para o teto, fazendo uma lista de todas as pessoas com as quais trabalhei no jornal. São jornalistas, colunistas e blogueiros que tiveram repetidas participações e que, portanto, fizeram o Sul21. Peço antecipadamente perdão a quem esqueci. Gosto de todo mundo e muitos deles já me deram o prazer da presença aqui na Bamboletras. Vamos à lista e depois às fotos?

Adroaldo Mesquita da Costa
Ana Ávila
André Carvalho
Annie Carolline Castro
Antônio Escosteguy Castro
Augusto Maurer
Astrid Müller
Bárbara Arena
Benedito Tadeu César
Bernardo Jardim Ribeiro
Bruno Alencastro
Caio Venâncio
Carlos Latuff
Carmen Crochemore
Céli Pinto
Cristiano Goulart
Cristóvão Crochemore Restrepo
Daniel Cassol
Daniela Sallet
Daniele Brito
Débora Fogliatto
Eduardo Silveira de Menezes
Enéas de Souza
Ernani Ssó
Felipe Nino Prestes
Fernanda Canofre
Fernanda Melchionna
Fernanda Melo
Fernanda Morena
Filipe Castilhos
Flávio Fligenspan
Francisco Marshall
Gabriela Silva
Gilmar Eitelwein
Giovana Fleck
Gregório Lopes Mascarenhas
Guilherme Escouto
Guilherme Santos
Igor Natusch
Israel Cefrin
Iuri Müller
Jaqueline Silveira
Joana Gutterres Berwanger
Jorge Buchabqui
Jorge Seadi
Julia Landim Lang
Lélia Almeida
Lorena Paim
Lucas Cavalheiro
Lucia Serrano Pereira
Luís Augusto Farinatti
Luís Eduardo Gomes
Luiz Antônio Timm Grassi
Luiza Bulhões Olmedo
Luiza Frasson
Manuela d`Ávila
Marcelo Delacroix
Marco Weissheimer
Mariana Duarte
Marino Boeira
Matheus Leal
Milena Giacomini
Mogli Veiga
Musta Juli
Natália Otto
Nícolas Pasinato
Nikelen Witter
Nelson Rego
Núbia Silveira
Paulo Timm
Pedro Nunes
Pedro Palaoro
Rachel Duarte
Ramiro Furquim
Raul Ellwanger
Roberta Fofonka
Robson Pereira
Ronald Augusto
Rui Felten
Samir Oliveira
Sergio Araujo
Tiago Prosperi
Tyaraju Terra
Vicente Nogueira
Vivian Virissimo
Vlad Schilling
Yara Pereira
Zeca Azevedo

O time crescendo ainda na sede da Rua Fernando Machado
O time crescendo ainda na sede da Rua Fernando Machado | Ramiro, Vlad, Rachel, Seadi, Vivian, Igor, Guilherme Escouto, Prestes e Milton.
Já em nosso escritório extra oficial: o Bar Tuim.
Já em nosso escritório extra oficial: o Bar Tuim. | Samir, Prestes, Rachel, Pedro, Milton, Vivian e Igor.
No restaurante do SindiBancários, comemorando o primeiro mês em que alcançamos 1 milhão de acessos.
No restaurante do SindiBancários, comemorando o primeiro mês em que alcançamos 1 milhão de acessos. | Carmen, Milton, Débora, Igor, Samir, Nícolas, Iuri, Guilherme Escouto e Rachel
Parte do time num encontro no Café Macuco da Jerônimo Coelho.
Parte do time num encontro no Café Macuco da Jerônimo Coelho. | Igor, Milton, Iuri, Bernardo, Fofonka e Débora.
Aniversário do Igor. Nossa chefe tinha viajado e deixado alguma grana pra nós. Sobrou. No último dia...
Aniversário do Igor. Nossa chefe tinha viajado e deixado alguma grana pra nós. Sobrou. No último dia… | Samir, Igor, Débora, Iuri, Nícolas, Milton, Guilherme Escouto e Bernardo.
No elevador voltando para o trabalho após o almoço.
No elevador voltando para o trabalho após o almoço. | Bernardo, Milton, Samir, Débora, Fofonka e Nícolas.
Apesar dos sorrisos, um dia não muito feliz: o da saída do Ramiro Furquim.
Apesar dos sorrisos, um dia não muito feliz: o da saída do Ramiro Furquim. | Caio, Débora, Samir, Yara, Guilherme Escouto, Ramiro, Carmen, Mariana, Milton, Fofonka, Bernardo e Jaqueline.
No primeiro Gre-Nal com torcida mista.
No primeiro Gre-Nal com torcida mista em encontro não combinado. | Latuff, Milton, Igor, Caio e Filipe.
Mil almoços no Tuim.
Mil almoços no Tuim. | Milena, Milton e Luís Eduardo.
Mil e um almoços no Tuim.
Mil e um almoços no Tuim. | Milena, Gregório, Milton e Joana.

Porque hoje é sábado, Kimiko Nakahara

Porque hoje é sábado, Kimiko Nakahara

Seleção de fotos: Cristóvão Crochemore Restrepo

10464022_493114297492664_3830053858829798575_n

Por distorção cultural, vejo nas mulheres japonesas

10438143_493112760826151_4936711737731240327_n

ou coreanas, chinesas, tailandesas,

10464022_493114297492664_3830053858829798575_n

rostos de porcelana, contornos moderados e algum recato.

10464022_493114297492664_3830053858829798575_n

Mesmo quando cortesãs, recato.

10438143_493112760826151_4936711737731240327_n

Vejo nelas também a tentativa de compreender, respeitar e descobrir

10511365_493112850826142_4911247925780342702_n

um modo de harmonizar-se a seu homem.

10511365_493112850826142_4911247925780342702_n

Acho que vi muitos filmes históricos, Cristóvão.

10511365_493112850826142_4911247925780342702_n

Batalhas fantásticas, domínios imperiais, contos de samurais.

kimiko nakahara

Sei que desconheço tudo o que é oriental — do xintoísmo ao budismo,

10438143_493112760826151_4936711737731240327_n

ignorando também as várias etnias. Sei que as do sudeste asiático são bronzeadas.

10438143_493112760826151_4936711737731240327_n

as do extremo oriente, mais claras. E que Kimiko Nakahara,

10511365_493112850826142_4911247925780342702_n

com seu nome de super-heroína gueixa assassina mangá, só pode ser japonesa.

Porque hoje é sábado, Cecil Baldewyns ou Cecil B

Porque hoje é sábado, Cecil Baldewyns ou Cecil B

Seleção de fotos: Cristóvão Crochemore Restrepo

1072677_394402897331344_1538898933_o

Há espaço para tudo no mundo.

1465157_10202639878981015_1655147929_n

A escolha do Cristóvão não fala diretamente a meus instintos

1545206_1503216489934672_5157795649900040951_n

mais primitivos, digamos assim. Mas fala aos mais sofisticados

1625504_396017720550653_254548059778717952_n

(na medida do possível para um Milton Ribeiro)

10314643_1500820616840926_6290331552320000220_n

e fazem pensar. São belos registros de um corpo que não parece ter nada

10339662_586339941470971_6030579084145294483_n

de incomum, sarado, siliconado ou fotochopado.

10407856_398365243649234_92087632645073182_n

Uma vez, perguntaram para Monica Bellucci qual era o segredo de sua duradoura beleza.

10426887_388538067965285_6340623971473936262_n

A resposta de grande deusa e patrona de nosso PHES foi sensacional:

10628204_1499698380286483_6391890652735169509_n

“Uso photoshop todo dia”.

10644809_391394401012985_3927143707246426403_n

Pois nossos corpos são bem assim — comuns, marcados, carentes de perfeições.

10647123_1479911465598508_1448742688433322726_n

Mas como torna-se impecável e maravilhoso o corpo da pessoa que amamos

10665731_573760372728928_9205538830514486023_n

movendo-se em nossos braços!

10698458_383480218471070_7337382417561898763_n

Onde encontrar, em cada ser, o fragmento que dá raiz

10703989_589379024500396_7601682772731748292_n

a nosso desejo?

10734144_397468673738891_2793174390620306060_n

É isso que perguntaria hoje ao Cristóvão, se estivéssemos numa mesa de bar.

Porque hoje é sábado, Sara Malakul Lane

Porque hoje é sábado, Sara Malakul Lane

Seleção de fotos: Cristóvão Crochemore Restrepo

sarah

Uma norte-americana chamada Sara Malakul Lane…. Malakul? De onde saiu isso?

sarah

Ah, sim, de uma mãe tailandesa e de um pai inglês. Mas hoje vou falar sobre o tema

sarah

mais importante do dia: falarei, um tanto misteriosamente, sobre o chá.

sarah

E, para tanto, solicitarei auxílio a Haroldo de Campos — À Maneira Provençal:

sara-malakul-lane-10

carmen castelã domina
estas torres de palavras
que eu construo como quem
junta limalhas de ferro
fazendo da língua imã

sarah

amor vendado de ouro
com dedos de purpurina
traça no ar o desenho
de som de sentido e sina

sarah

carmen castelã domina
estas torres de linguagem
imagem de mãe e filha
rosto de amante e menina
senhal miragem poesia

sarah

e o tempo de chá e Proust
se dissolve qual neblina
volta a manhã volta a noite
o escuro se faz matina

sarah

e é tudo como se fosse
a mesma matéria-prima
de vida revisitada
de instante que não termina:
carmen castelã domina

sarah

o tempo reprimavera
na trama da luz mais fina
neste castelo de ar
carmen castelã domina
feto de ser e de tempo
que o imã da língua junta
qual limalha de platina

sarah

amor vendado e vidente
aos pés do castelo assina
seu mistério e grava o nome
com selo de turmalina

sarah

diz camões que o amador
na coisa amada se ultima
horácio diz: carpe diem
curte o tempo: flor que fina

sarah

mas aqui o tempo tira
da garganta a mão mofina
s’insempra – Dante diria
se enamora: repristina

sarah

amor dessela o mistério
que tem seu nome por cima:

sarah

“amor mais forte que a morte”
diz a pedra turmalina

sara-malakul-lane

neste castelo de torres
carmen castelã domina

sml1

E, agora, troquem carmem por Elena.

Sara-Malakul-Lane_11

Espero, meu amor, que não fiques sem chá nem Proust.

Porque hoje é sábado, Marina Emanuela Saia

Porque hoje é sábado, Marina Emanuela Saia

Seleção de fotos: Cristóvão Crochemore Restrepo

17407002_nBzzt

Pois nesta semana o Latuff me aparece aqui no Sul21 falando em pogonofilia,

ass174-Marina-Emanuela-Saia

que é o fetiche de mulheres — e também de homens, por que não? — por barba.

Marina-Emanuela-Saia-3

Por curiosidade, fui pesquisar outras parafilias, palavra que caracteriza os padrões

Marina Emanuela Saia

de comportamento sexual, no qual a fonte predominante de prazer não é a cópula,

Marina-Emanuela-Saia-9

mas alguma outra atividade.

Marina-Emanuela-Saia-5

E céus, como é estranho o ser humano!

uv0vxh0byes4ybsx

Há coisas rotineiras como a agorafilia,

marina_emanuela_saia_backstage_playboy11

que é a atração por copular em lugares abertos ou ao ar livre.

Saia-Playboy-2011-03u-02

Mas há também o fetiche por amarrar pedras ao pênis, a adstringopenispetrafilia.

Saia-Playboy-2011-03u-08

O brasileiro costuma sofrer de pigofilia, que é a excitação sexual por nádegas.

marina-saia-08

Tem gente que gosta da bondage, prática onde a excitação vem de amarrar o parceiro.

10703756_705736219505925_9189333888775962226_n

Há a terna quirofilia, excitação sexual por mãos.

10613095_694651547281059_8781012726412518801_n

E a urofilia, excitação ao urinar no parceiro ou receber dele o jato urinário.

10351307_683588471720700_8099481392668537480_n

Então, meus prezados sete leitores, a tara que o Latuff nos trouxe é bem tranquila,

marina saia

pois li coisas que só escreveria aqui se nosso blog não fosse o blog da família gaúcha.

marina_emanuela_saia_

Obs. 1: Aprenda mais neste link.
Obs. 2: Se alguém notar alguma relação entre o texto e as fotos, por favor avise.