Bom dia, Guto (com os melhores lances de Inter 2 x 0 Oeste)

Jamais iria a um concerto que é um soco no estômago, odeio filmes que são um tapa na cara do expectador, detesto prosa cortante e de estilo contundente. Evitaria uma exposição que é um cisco no olho. Fugiria das peças teatrais desconcertantes, assim como das análises psicológicas penetrantes. Idem para os romances com histórias pé no saco. Deixa eu ser hedonista… Mas vi o jogo do Inter ontem à noite.

Edenílson jogou bem como volante mais fixo.

Edenílson jogou bem como volante mais fixo.

Jogar com Sasha é para os fortes e tu, bem, não és um deles, Guto. Só que errei feio em minha impressão inicial, pois Sasha foi talvez o melhor em campo.

Iniciamos o jogo mal com sempre, mas fazendo uma pequena pressão. Chutamos três bolas em gol. Todas no goleiro. Atrás de mim, um sujeito falava calmamente para seu amigo: “O Zago era um mau caráter, racista. O Gordo é boa gente, pena que não entenda nada de futebol”. O Gordo é tu, Guto. Achei o cara bem bem razoável. Ele estava tranquilo externando a opinião de que és um idiota. Gostaria de ter tal serenidade.

Nossos ataques tendiam a acabar em cruzamentos, como sempre. Só que Nico e Sasha eram baixos — ainda são — em relação à zaga do Oeste, para não falar no goleiro.

Então, o milagre. Em grande jogada e cruzamento de Nico López — aquele que tu sempre tiras do time –, Sasha marcou de cabeça. Pensei logo que tu ias tirar o Nico. Cruzamento fora do normal.

No segundo tempo, o Oeste tentava atacar. Então Danilo Silva se machucou para dar entrada a Ortiz. Nada mudou para quem já estava com o cu na mão. Começamos a recuar e a cometer erros defensivos. Fabinho também se machucou num lance bem feio, dando entrada a Júnio.

Ficamos dando espaço para o time ruim do Oeste. Não que nosso padrão fosse muito superior. Então a defesa do Oeste errou, Nico López criou o maior rolo, dando até chapéu no goleiro, Uendel chutou no travessão, na volta Nico tentou e FINALMENTE Uendel marcou. 2 x 0.

Fizemos um bom jogo, Guto. Lutamos muito, coisa que os jogadores não pareciam muito dispostos a fazer por ti. Fizeram. A Série B é barbada. Viste?, é só jogar um pouquinho que vai.

Destaques para as boas atuações de D’Ale e Nico, Sasha e Charles. E Klaus é um zagueiro. Não pode sair do time. Edenílson também foi bem.

Nosso próximo jogo é só na próxima terça contra o Goiás, novamente no Beira-Rio, novamente às 21h30. Dale levou o terceiro cartão amarelo e vai passear com a família, provavelmente. Aliás, já levou 6 cartões na Série B, é sua segunda suspensão…

Estamos na quarta posição, mas isso pode mudar até o fim da rodada. O que não pode mudar é nossa disposição, né Guto? E deixa Nico e Klaus no time, tá? E arquive Danilo Silva, Felipe Gutiérrez e Diego. Não servem.

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!

Bom dia, Zago (com os melhores lances de Inter 4 x 1 Oeste)

Ah, como fizeram falta esses pênaltis bem batidos em 2016, Brenner!

Ah, como fizeram falta esses pênaltis bem batidos em 2016, Brenner!

E finalmente o Inter acabou mostrando alguma coisa parecida com futebol, Zago. Os 4 x 1 sobre o Oeste foram justos. O time paulista é péssimo, mas lembro que nos atrapalhamos contra o Princesa do Solimões, que é pior. Ernando foi retirado para a entrada de Leo Ortiz — a cara do pai dele, com um futebol igualmente de primeira linha, bom com a bola no pé e no desarme. (Aliás, acertou o lançamento que Paulão tenta erradamente em todos os jogos). Brenner foi fixado como titular. Foi frio e competente para marcar dois gols. Carlos fez boa partida. Apesar de os erros de passe e o posicionamento meio ingênuo seguirem, o time esteve mais organizado. O gol do Oeste foi culpa de Paulão, o que não chega a ser exatamente uma novidade. O zagueiro Cuesta foi contratado e espero que os buestas Ernando e Paulão sejam afastados para que joguem o recém chegado argentino, mais Leo Ortiz, Eduardo e outros como Neris, que nem estreou.

Uma pena que Brenner tenha sido expulso contra o Passo Fundo. Não jogará o importante jogo — importante para o Picanhão 2017, bem entendido — contra o Brasil-Pel. A presença de um competente homem de conclusão é condição fundamental para qualquer time digno deste nome. Brenner está sendo a grande e boa surpresa deste ano. Nasceu em março de 1994 e é raro que um jogador vindo do interior do estado demonstre tanta personalidade e até certa arrogância. Ainda mais tendo 22 para 23 anos. Se ele estivesse em campo no time de Argel-Celso Roth (peço perdão por citar tais nomes, Zago) a fim de bater os pênaltis contra Chepecoense e São Paulo não estaríamos na segunda divisão. Verdade, é só fazer o cálculo.

Não chego a estar animado, mas gostei da evolução demonstrada ontem. Os volantes Dourado e Charles ainda estão (muito) fora do lugar, mas o lateral esquerdo Ueldel é eficiente. Junio e Alemão são interrogações, assim como a alternância entre Carlinhos e Uendel na lateral e meio-de-campo. Gostei do fato de Carlinhos ter ficado indignado com o tabefe que Dourado tomou. Paulão riu, Carlinhos quis briga. Chega de posturas risonhas e passivas, né? Risada é só para depois de gol nosso ou escárnio de adversários. Vaza, Paulão.

(Ontem foi um dia especialmente feliz. Anderson saiu, Cuesta foi anunciado).

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!