Bom dia, Zago (com os melhores lances de Inter 4 x 1 Oeste)

Ah, como fizeram falta esses pênaltis bem batidos em 2016, Brenner!

Ah, como fizeram falta esses pênaltis bem batidos em 2016, Brenner!

E finalmente o Inter acabou mostrando alguma coisa parecida com futebol, Zago. Os 4 x 1 sobre o Oeste foram justos. O time paulista é péssimo, mas lembro que nos atrapalhamos contra o Princesa do Solimões, que é pior. Ernando foi retirado para a entrada de Leo Ortiz — a cara do pai dele, com um futebol igualmente de primeira linha, bom com a bola no pé e no desarme. (Aliás, acertou o lançamento que Paulão tenta erradamente em todos os jogos). Brenner foi fixado como titular. Foi frio e competente para marcar dois gols. Carlos fez boa partida. Apesar de os erros de passe e o posicionamento meio ingênuo seguirem, o time esteve mais organizado. O gol do Oeste foi culpa de Paulão, o que não chega a ser exatamente uma novidade. O zagueiro Cuesta foi contratado e espero que os buestas Ernando e Paulão sejam afastados para que joguem o recém chegado argentino, mais Leo Ortiz, Eduardo e outros como Neris, que nem estreou.

Uma pena que Brenner tenha sido expulso contra o Passo Fundo. Não jogará o importante jogo — importante para o Picanhão 2017, bem entendido — contra o Brasil-Pel. A presença de um competente homem de conclusão é condição fundamental para qualquer time digno deste nome. Brenner está sendo a grande e boa surpresa deste ano. Nasceu em março de 1994 e é raro que um jogador vindo do interior do estado demonstre tanta personalidade e até certa arrogância. Ainda mais tendo 22 para 23 anos. Se ele estivesse em campo no time de Argel-Celso Roth (peço perdão por citar tais nomes, Zago) a fim de bater os pênaltis contra Chepecoense e São Paulo não estaríamos na segunda divisão. Verdade, é só fazer o cálculo.

Não chego a estar animado, mas gostei da evolução demonstrada ontem. Os volantes Dourado e Charles ainda estão (muito) fora do lugar, mas o lateral esquerdo Ueldel é eficiente. Junio e Alemão são interrogações, assim como a alternância entre Carlinhos e Uendel na lateral e meio-de-campo. Gostei do fato de Carlinhos ter ficado indignado com o tabefe que Dourado tomou. Paulão riu, Carlinhos quis briga. Chega de posturas risonhas e passivas, né? Risada é só para depois de gol nosso ou escárnio de adversários. Vaza, Paulão.

(Ontem foi um dia especialmente feliz. Anderson saiu, Cuesta foi anunciado).

Gostou deste texto? Então ajude a divulgar!